Paulo Lacerda é exonerado da Abin e passará a atuar em Portugal

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República anunciou, nesta segunda-feira, o afastamento definitivo de Paulo Lacerda da direção-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Sarah Barros, Último Segundo/Santafé Idéias |

Agência Brasil
O ex-diretor da Abin Paulo Lacerda
Lacerda foi exonerado, por meio de decreto, sendo nomeado adido policial junto à Embaixada Brasileira em Portugal. O adido policial é um policial a serviço do seu país, alocado em embaixadas. Wilson Roberto Trezza passa a exercer a função de diretor-geral da ABIN interinamente.

Um interlocutor da presidência da República informou ao iG que partiu do próprio Lacerda o pedido de exoneração do cargo de diretor-geral da Abin. Segundo ele, o delegado teria entendido que sua volta ao comando da agência seria problemática.

Lacerda estava afastado temporariamente do cargo desde o início de setembro após suspeita de que a Abin teria realizado escutas telefônicas clandestinas para monitorar conversas de autoridades, como o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, no curso da Operação Satiagraha, da Polícia Federal.

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal para investigar a autoria de um suposto grampo da conversa entre Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), mas a conclusão do procedimento foi adiada para 2009. Segundo reportagem publicada pela revista Veja, em agosto, agentes da Abin seriam os responsáveis pelo grampo.

Em setembro, Lula chegou a afirmar que Lacerda era um profissional da mais alta competência e poderia voltar a direção da Abin quando quisesse, depois concluída a investigação.

*(Com reportagem de Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias)

Leia mais sobre: Paulo Lacerda  - Abin

    Leia tudo sobre: abin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG