BRASÍLIA - O ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Paulo Lacerda não deverá participar de nova audiência na CPI dos Grampos, na Câmara dos Deputados. Lacerda está convocado a depor à comissão em reunião marcada para esta quarta-feira.

Trabalhando como adido policial na embaixada do Brasil em Lisboa desde que foi afastado da Abin, Lacerda pediu, na semana passada, para ser interrogado por carta rogatória, uma vez que está em Portugal. O presidente da CPI, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), negou o pedido. Nesta segunda-feira, Lacerda ligou para o secretário da CPI avisando que não poderá comparecer à sessão na Câmara.

Ainda hoje os deputados deverão votar um requerimento dos deputados Domingos Dutra (PT-MA) e Luiz Couto (PT-PB), que pede a dispensa do depoimento de Lacerda.

A CPI dos Grampos ouve neste momento o depoimento de Edval de Oliveira Novaes Júnior, Subsecretário de Modernização Tecnológica da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.