Paulo Bernardo diz que R$ 1 bi foram gastos sem transparência com contas tipo ¿B¿

BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta quinta-feira que o total de gastos com contas tipo ¿B¿ nas três esferas e governo ¿ federal, estadual e municipal ¿ ultrapassa R$ 1 bilhão sem qualquer transparência e, por isso, defende a extinção dessa modalidade de pagamentos.

Rodrigo Ledo ¿ Último Segundo/Santafé Idéias |

Bernardo lembrou que as contas tipo B do governo federal serão encerradas em julho para total substituição pelos cartões corporativos, considerado pelo governo um meio de pagamento de maior transparência. Além disso, ressaltou, foi estipulado o limite de 30% de gastos para os saques em dinheiro, depois de muitas denúncias sobre falta de prestação de contas do uso desses recursos retirados em caixas eletrônicos. 

Mas o ministro foi além e incentivou os governos estaduais e prefeituras a fazerem o mesmo. Se for somar os gastos das três esferas de governo dá mais de R$ 1 bilhão. A partir de julho não haverá mais contas tipo B [no governo federal]. Queremos acabar com os saques, mas tem que fazer uma transição porque há lugares que não aceitam cartões, então fixamos limite de 30%, e com autorização dos ministros. Teremos 100% de transparência, e a conta tipo B é transparência zero, observou.

Aumento por MP

O ministro do Planejamento também anunciou que o aumento para cerca de 800 mil servidores públicos civis deverá ocorrer por meio de edição de medida provisória (MP) nas próximas semanas.

A MP está em fase final de elaboração, disse Bernardo, assim como a do aumento dos militares. Estamos fazendo a revisão [da MP dos funcionários civis] e a partir daí vamos encaminhar ao presidente Lula. A dos militares também está em fase final de montagem, afirmou o ministro do Planejamento.

Leia masi sobre: Paulo Bernardo

    Leia tudo sobre: paulo bernardo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG