O Ministério Público de Zurique anunciou ontem que não vai liberar a brasileira Paula Oliveira para retornar ao País e ainda afirmou que quer avaliar sua condição mental. Paula é suspeita de ter inventado um suposto ataque xenófobo em meados de fevereiro numa estação de trem de Zurique.

Na ocasião, ela disse que sofreu um aborto por causa do ataque.

Se for comprovado que Paula mentiu para as autoridades suíças, a pena contra ela seria mais dura, podendo ser condenada a até 3 anos de prisão. No entanto, em caso de problemas psiquiátricos, a condenação por falso testemunho seria aliviada e ela poderia ser liberada para voltar para o Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.