Passeata do MST chega ao Palácio dos Bandeirantes em São Paulo

SÃO PAULO - Os cerca de 400 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), conforme estimativa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), chegaram no começo da tarde ao Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, na zona sul de São Paulo. A Polícia Militar cercou a área em torno da sede do governo para impedir a aproximação dos manifestantes.

Agência Estado |

Segundo o presidente do movimento, João Pedro Stédile, os manifestantes tentarão ter uma audiência com o governador José Serra (PSDB) ou com o secretário-chefe da Casa Civil do Estado de São Paulo, Aloysio Nunes Ferreira.

AE
Policiais militares cercam imediações do Palácio dos Bandeirantes
"Companheiros vão lá pedir que o governo acelere a análise das terras públicas estaduais para destiná-las para a reforma agrária", disse Stédile quando o grupo se dirigia para o Palácio.

"Esse era o espírito desde o governador (Carlos Alberto Carvalho Pinto), em 1958. Serra está quarenta anos atrasado", criticou. O grupo saiu da Praça Charles Muller, no Pacaembu, zona oeste, por volta das 9 horas e seguiu por Pinheiros até o Morumbi.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por volta das 14h10, o grupo interdita os dois sentidos da avenida Morumbi, na altura no número 2.100. Às 14h15, a CET registrava 48 km de lentidão na cidade, o que representa 5,7% dos 835 km monitorados.

Mais cedo, os manifestantes chegaram a interditar a faixa dos ônibus na rua Cardeal Arcoverde, também complicando o trânsito na via, já que os veículos tinham que utilizar a faixa dos carros.

O protesto, que teve início por volta das 8h, na praça Charles Miller, tem como objetivo entregar um documento ao governador José Serra (PSDB), no qual pedem prioridade à reforma agrária.

Futura Press
Manifestantes realizam caminhada pela cidade de São Paulo

Além disso, eles pedem o desbloqueio de R$ 800 milhões do orçamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para este ano, o assentamento imediato de 90 mil famílias, e a liberação de verbas para construção de casas, escolas e investir em infraestrutura para os 45 mil já assentados que, segundo eles, estão morando de forma precária.

Outros protestos

Na tarde de quarta-feira, cerca de 800 pessoas, de acordo com a assessoria do movimento e a Polícia Militar (PM),  foram do estádio do Pacaembu até a avenida Paulista , protestando contra uma decisão do governo federal, que cortou a verba para reforma agrária .

Assista imagens da caminhada na quarta-feira:

Leia mais:

Leia mais sobre: reforma agrária  - MST

    Leia tudo sobre: mstreforma agrária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG