Passageiros devem ficar atentos a gastos de passagens promocionais

Passageiros devem ficar atentos a gastos de passagens promocionais Por Bruna Tiussu São Paulo, 16 (AE) - Parece perfeito voar de Londres a Madri pela pechincha de 14,99 libras (cerca de R$ 40). Ou de Nova York a Fort Lauderdale, na Flórida, por apenas US$ 74 (R$ 130).

Agência Estado |

Com preços atraentes como esses, empresas aéreas "low costs" (de baixo custo) europeias e americanas conquistam clientes a cada dia.

Mas a verdade é que o bilhete não é o único item cobrado pelas companhias. Em geral, o passageiro desembolsa valor idêntico ao pago pelo voo - algumas vezes, até mais alto - por peça despachada no embarque.

A solução para economizar de verdade é esquecer as bagagens grandes e tentar espremer os pertences em uma mala de mão. Cujo tamanho, atenção, também é limitadíssimo. Para ser aceita na cabine, suas dimensões máximas devem ser de aproximadamente 56x45x25 centímetros. Que podem variar (pouco) de acordo com a empresa - compartimentos ao lado do balcão de check-in ajudam a avaliar se sua mala está de acordo com as regras. Quanto ao peso, não há limite estabelecido, mas você precisa conseguir colocar o volume no compartimento de bagagem acima das poltronas sem necessitar de ajuda. Algumas permitem ainda levar uma bolsa pequena, isenta de taxas.

Confira as condições antes de comprar sua passagem:

RYANAIR
www.ryanair.com
Estabelece o limite de duas malas de até 15 quilos por passageiro. Pelo primeiro volume despachado, paga-se taxa de 15 libras (R$ 36,27) no momento da reserva do voo pela internet ou de 35 libras (R$ 84,63) na hora do check-in no aeroporto. A segunda unidade custa 35 libras na reserva e 70 libras (R$ 169,26) no aeroporto. O quilo excedido custa outras 20 libras (R$ 48,36) - e o limite para o excesso de bagagem é de 50 quilos extras. Não são aceitas malas com peso superior a 32 quilos.

EASYJET
www.easyjet.com
A quantidade de malas a ser despachada é ilimitada, mas, por alegados motivos de segurança, a empresa não aceita unidades com mais de 50 quilos. Cada item pesando até 20 quilos é despachado pelo valor de 11 libras (R$ 26,60), cobrados na internet durante a reserva - no aeroporto, o valor dobra. Para cada quilo excedido, cobra-se tarifa de 12 libras (R$ 29).

VIRGIN
www.virgin.com
Não há restrição quanto ao número de bagagens despachadas pelo viajante, mas cada uma deve pesar, no máximo, 32 quilos. A taxa de US$ 20 (R$ 35) por unidade pode ser paga pela internet ou no aeroporto. Por cada mala com peso superior ao permitido é cobrado um valor adicional de US$ 50 (cerca de R$ 88).

JET BLUE
www.jetblue.com
A primeira bagagem é despachada gratuitamente, mas só pode pesar até 22,5 quilos. Pela segunda unidade, o viajante deve desembolsar US$ 30 (R$ 53,06), a serem pagos na internet ou no check-in. Ao despachar duas malas extras, cobra-se taxa única de US$ 75 (R$ 132,64). Para o excesso de peso até um limite de 32 quilos, pedem outros US$ 50 (R$ 88,42). Acima disso, até 45 quilos, a taxa sobe para salgados US$ 100 (R$ 176,85). Unidades com peso superior a 45 quilos não são transportadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG