Partido da base de Lula, PR adere à candidatura Kassab

Por Carmen Munari SÃO PAULO (Reuters) - O Partido da República (PR), sigla que faz parte da base do governo Lula, anunciou nesta segunda-feira apoio à candidatura de Gilberto Kassab à prefeitura de São Paulo. O PR junta-se ao DEM, legenda do prefeito, ao PMDB e ao PV, que divulgará seu apoio na terça-feira.

Reuters |

'Já apoiamos o prefeito na Câmara Municipal e agora vamos nos unir aos demais partidos da coligação', disse o vereador Toninho Paiva, presidente do diretório municipal do PR.

O PR, fruto da união de PL e Prona, também havia negociado com o PT, que tem na ministra do Turismo Marta Suplicy sua potencial candidata.

Foram os cinco vereadores do partido os responsáveis pela definição da adesão a Kassab, disse o presidente da Câmara Municipal, Antonio Carlos Rodrigues (PR).

Segundo Rodrigues, enquanto todos os candidatos a prefeito buscam apoio de outros partidos para ampliar o tempo do horário político da TV, o PR vai dobrar o período televisivo e a legenda poderá disputar 20 vagas de vereadores.

Kassab afirmou durante o evento, realizado no diretório estadual do PR, que, mesmo com o apoio das quatro legendas, ele ainda espera contar com o PSDB em sua campanha.

O prefeito mantém o discurso de que os partidos não estão conferindo apoio direto a sua candidatura e sim à aliança PSDB-DEM, que também pode ter o ex-governador Geraldo Alckmin como cabeça de chapa.

'Todos os nossos aliados, o PR, o PMDB e o PV amanhã, torcem e vão procurar nas próximas semanas fazer todo o esforço possível para que possamos contar com o PSDB no primeiro turno', disse Kassab, afirmando considerar legítimo o PSDB ter uma candidatura própria, com Alckmin.

Ainda assim, Rodrigues disse que a candidatura Kassab é 'irreversível' para o PR. Também no anúncio da adesão, Orestes Quércia, presidente do PMDB estadual, sugeriu que Alckmin concorra a governador pelo PSDB nas eleições de 2010, em uma sinalização pela sua desistência da prefeitura.

TIMÓTEO

O PSDB municipal formalizou a candidatura Alckmin na segunda-feira passada, quando o ex-governador já falava em união com o DEM apenas no segundo turno.

Kassab disse que o PR não fez exigências, mas o prefeito disse que assumiu o compromisso de que eles estarão nos quadros de seu possível governo.

Estiveram no evento o ex-governador Claudio Lembo (DEM) e os vereadores do PR: além de Paiva e Rodrigues, o ex-jogador de futebol Ademir da Guia, o ex-judoca Aurélio Miguel e o cantor Agnaldo Timóteo.

No discurso, Timóteo causou constrangimento ao afirmar que existe rejeição a Kassab junto ao eleitor. 'Vamos fazer com que ela desapareça totalmente, para que a aceitação se multiplique a cada momento', disse o cantor.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG