Parque onde menino morreu eletrocutado não tinha autorização dos bombeiros

RIO DE JANEIRO ¿ O parque de diversões localizado na zona oeste do Rio, onde um menino de dez anos morreu após receber uma forte descarga elétrica, não tinha a autorização do Corpo de Bombeiros. De acordo com o coronel Laboissiere, sub-diretor geral de diversões públicas, o empreendimento não possuía o documento que comprovava a segurança no local. O parque foi interditado nesta segunda-feira.

Redação |

Segundo ele, o responsável pelo parque não deu entrada no processo administrativo junto ao Corpo de Bombeiros para obter a autorização. O órgão libera o documento após checar uma série de laudos técnicos assinados por um engenheiro registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) que comprovam a segurança dos brinquedos.

O acidente fatal ocorreu neste domingo, por volta das 18h. Segundo a polícia, a mãe do menino disse que o garoto foi ao parque montado na Praça Guilherme da Silveira, em Bangu, para soltar pipa. Naquele horário, o parque ainda não estava funcionando.

De acordo com testemunhas, o menino encostou em uma grade de ferro que protegia um dos brinquedos quando recebeu a descarga elétrica. A criança chegou a ser levada para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, mas não resistiu aos ferimentos e já chegou morta à unidade.

Agentes da 34ª DP (Bangu) e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) foram ao parque de diversões momentos após o acidente. Os laudos da perícia, que deve ficar pronto em 30 dias, e do Instituto Médico Legal irão apontar se o menino morreu eletrocutado.

O parque de diversões começou a ser desmontado nesta segunda-feira, mas a polícia ordenou que o trabalho fosse suspenso. Outra perícia deverá ser realizada no local e a desmontagem do parque atrapalharia o serviço. Moradores da região disseram que o empreendimento já estava previsto para acabar nesta segunda.

Segundo a polícia, se for comprovada a responsabilidade do parque na morte do garoto, o responsável poderá ser indiciado por homicídio culposo. A vítima será enterrada nesta segunda-feira, às 16h, no cemitério do Murundu, em Realengo.

Veja também:

Leia mais sobre: mortes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG