Parlamentares respondem a críticas de internautas

BRASÍLIA - O ano de 2009 não tem sido fácil para o Congresso Nacional. Afogado em denúncias, a crise no Legislativo vai desde hábitos condenáveis dos parlamentares à publicação de reportagens dando conta de supostas quadrilhas operando na alta administração da Casa. O Último Segundo pediu para que seus internautas enviassem videomensagens, presentando criticas e sugestões aos parlamentares.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Não faltaram temas. Existiu a farra das passagens, divulgado com exclusividade pelo site Congresso em Foco , parceiro do iG, em que deputados levaram pais, mães, filhos, filhas, namoradas, atores e atrizes para viajar às custas da Câmara . Foi descoberto, ou melhor, encoberto, o sistema de gastos com a verba indenizatória dos deputados ¿ no caso, somente a ponta do iceberg foi vista.

Ela se materializou no deputado Edmar Moreira (sem partido-MG), que usou os recursos de sua cota para engordar o caixa de sua empresa de segurança. A Câmara desconfia, agora, que os serviços sequer foram prestados.

No Senado, a situação é ainda mais crítica. Ao contrário da Câmara, com sua crise moral pelo uso da cota aérea, na Casa Alta o ex-diretor-geral, Agaciel Maia , escondeu uma mansão da Justiça e foi acusado por seu ex-colega, ex-diretor de Recursos Humanos do Senado, João Carlos Zoghbi, de ter participação em todas as empresas terceirizadas que prestam serviço ao Poder.

Zoghbi , além de acusar, é acusado. A revista "Época" revelou que ele usou uma babá para abrir empresas que operavam com as financiadoras do Senado, que trabalhavam com crédito consignado.

Veja algumas videomensagens enviadas pelos internautas:

Leia abaixo as respostas dos parlamentares aos internautas:

Respondendo ao Internauta Antônio e Ednardo Melo
José Genoíno (PT-SP)
- O voto não perdeu seu valor. Nos últimos 40 anos, todas as transformações foram feitas através do voto, nossa Constituinte, diversas Leis. E o Congresso Nacional não pode ser visto apenas pelas práticas ilícitas de alguns, temos que ter o voto como instrumento principal de mudança, todo o poder emana do povo e é representado de maneira direta, no voto, e indireta. Sobre a volta dos militares digo que tal discurso faz parte da deslegitimização do voto, faz parte de uma campanha autoritária. Quem diz isso não sabe o que é uma ditadura militar.

Respondendo ao internauta José Roberto
Coronel Paes de Lira (PTC-SP), suplente do Clodovil
- Esse tipo de pensamento não ajuda em nada. Há, sim, pessoas honradas aqui, embora também haja mazelas. O caso das passagens mostra que hábitos precisam ser mudados. Acredito que o uso do dinheiro público dessa forma é peculato e os responsáveis deveriam ser punidos, mas não são todos farinha do mesmo saco. Eu tenho 35 anos de vida na Polícia, defendendo com minha vida a população de São Paulo, por isso penso que devemos separar uma coisa da outra. Processar e punir quem pratica ilícitos e também os reeleger.

Respondendo ao internauta Paulo
Emanuel Fernandes (PSDB-SP) -
O internauta tem razão. A produção aqui é baixa, não justifica seu custo. As Leis são feitas de cima para baixo, não se discute com a população e depois se faz a Lei, mas o contrário. Luto para que o papel do parlamento seja redefinido, para que aqui seja a caixa que faz eco ao consenso popular, precisamos debater com a população e depois fazer as Leis. Caso contrário, a população nunca vai enxergar o benefício do parlamento, somente seu custo.

Respondendo ao internauta Juarez Marcilio
Fernando Coruja (PPS-RJ) ¿
Há 200 anos que o mundo trabalha com o sistema de Três Poderes, e não se encontrou solução melhor. O Legislativo tem dificuldades, defeitos, e ele aparece mais aqui, pois é o Poder mais transparente. Há defeitos na Instituição que devem ser corrigidos e problemas nos seres humanos que estão aqui dentro, que devem ser corrigidos pelo voto. Quanto ao Lula acho um exagero, o internauta talvez desconheça o que é uma ditadura... Para mim, o grande papel da Câmara é ser um Poder aberto, onde a população possa fazer suas reclamações, caso contrário perde sua função.

Respondendo ao internauta Paulo
Maurício Rands (PT-PE) ¿
Lula é um democrata, só é presidente da República pois seu partido, e outros, lutaram contra o regime militar. Ao invés de fechar o Congresso devemos melhorar a representação política e a consciência do eleitorado. É preciso apoiar partidos comprometidos com a mudança do sistema político, pois essa Casa reflete as virtudes e os vícios da sociedade brasileira.

Respondendo ao internauta Tom Barreto
Ciro Nogueira (PP-PI) 7 -
De todas as críticas que o Congresso têm recebido esta é a mais sensata. Se perde tempo em desvios de conduta particulares, que mesmo sendo desvios, não afetam a sociedade como um todo. Esse tipo de fato ganha espaço na mídia como outros, como os que sugere o internauta, não ganham. Eu também faço essa crítica, pois nossa função é legislar, é isso que temos de buscar. Enquanto não fizermos isso, o desperdício vai ser grande e a estrutura cara do Legislativo não vai produzir, luto para que isso seja mudado.

Respondendo ao internauta Ivan Thomaz
Ivan Valente (PSOL-SP) -
Nessa semana poderíamos ter feito muito pelos aposentados, aumentando seus rendimentos, mas não votamos. Passou para semana que vem e com voto secreto o veto do presidente Lula que impediu o aumento para os aposentados. Quanto aos impostos, o Brasil realmente tem uma grande carga, mas esse não é o maior problema. A carga deveria ser progressiva, paga mais quem tem mais, ser em cima de riqueza, não de pequenos e médios salários. Há uma injustiça tributária. E o pior, o dinheiro é usado para pagar juros, amortização e a rolagem da dívida. O problema é que sem pressão popular esse Congresso não vai fazer uma boa reforma tributária.

Leia mais sobre: Congresso

    Leia tudo sobre: congresso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG