Parentes de vítimas do acidente da TAM se reúnem em São Paulo

SÃO PAULO - Parentes das vítimas do acidente da TAM, ocorrido em julho do ano passado no Aeroporto de Congonhas, se reúnem nesta sexta-feira, a partir das 9h, no Hotel Sofitel Ibirapuera, em São Paulo, para discutir o andamento do inquérito policial.

Agência Brasil |

Partipam da reunião o diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo, Aldo Galiano, o delegado responsável pelo inquérito policial, Antônio Barbosa, o superintendente do Instituto de Criminalística, Celso Periolli, o perito do Instituto de Criminalística Antônio Nogueira e o promotor de Justiça Mario Luiz Sarrubo.

AE
Parentes das vítimas protestaram em frente ao Aeroporto de Congonhas

Às 11h30, os parentes discutem com o procurador-geral de Justiça, Rodrigo de Grandis, o secretário de Justiça de São Paulo, Luiz Antônio Marrey, e o promotor Mario Luiz Sarrubo o andamento das investigações feitas pelo Ministério Público Federal.

À tarde, às 16h, haverá reunião com o arquiteto Ruy Ohtake sobre o projeto do memorial em homenagem às vítimas, a ser construído no local do acidente. Às 18h, o encontro será com o advogado criminalista Eduardo César Leite, representante jurídico das famílias no inquérito criminal que investiga o acidente.

Ato ecumênico

Parentes das 199 vítimas do acidente da TAM realizaram um ato ecumênico, em frente ao Aeroporto de Congonhas ¿ na mesma hora (18h48) e local onde aconteceu a tragédia, há exatamente um ano. Diversas religiões estavam representadas: Padre Juarez de Castro, da Igreja Católica, Pastor Hermann Wille, da Igreja Luterana, e o Pastor e Capelão da Aeronáutica, Marcelo Coelho, da Igreja Presbiteriana, entre outros participantes. Em clima de comoção, os parentes das vítimas fizeram um minuto de silêncio no momento do acidente.

Os parentes levaram flores a um palco montado especialmente para o encontro. Uma árvore foi iluminada e decorada com imagens da tragédia e fotos das vítimas. A viúva de um dos passageiros hasteou a Bandeira Nacional. A idéia é que fique erguida até a construção de um memorial, plano reforçado pelo presidente da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo TAM JJ3054 (Afavitam), Dario Scott. A Prefeitura planeja construir uma praça no local.

Durante a tarde, os familiares das vítimas realizaram uma manifestação no Aeroporto de Congonhas em memória de um ano da maior tragédia da história da aviação brasileira. Parados em frente ao balcão de check-in da TAM eles reivindicaram punição para os responsáveis pelo acidente e indenização para os familiares das vítimas.

Leia também:


Acidente em imagens

    Leia tudo sobre: acidente da tam

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG