Parentes de vítimas de 11 de setembro lembram 64 anos da bomba de Hiroshima

Nova York, 6 ago (EFE).- Mais de 10 mil aves de papel, feitas à mão por famílias japonesas de vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001, foram usadas em um ato em memória dos 64 anos dos bombardeios atômicos sobre Hiroshima e Nagasaki.

EFE |

O evento aconteceu em um centro da cidade de Nova York dedicado à lembrança dos atentados de sete anos atrás.

"Existem fortes vínculos entre o 11 de setembro e Hiroshima, já que há vítimas dos bombardeios atômicos que perderam familiares no World Trade Center (WTC). Há muitas vítimas inocentes da violência em qualquer parte do mundo", disse à Agência Efe a comissária da exposição do Tribute WTC Visitor Center, Meriam Lobel.

As cadeias de aves de papel decoram as escadas do museu e, segundo a tradição japonesa, são um símbolo da paz. Elas expressam o desejo de que os mortos descansem em paz.

"Achamos que estas cadeias representam o aspecto internacional dos atentados de 2001, que custaram a vida de cidadãos de muitos países e tiveram um impacto sobre todo o mundo", disse a comissária.

Entre os origamis se destaca um de 2 cm, feito pela menina Sadako Sasaki, que morreu aos 12 anos. Ela foi vítima de leucemia, após ficar exposta à radiação dos bombardeios de Hiroshima em 1945.

"No Japão, acredita-se que um desejo vai se realizar quando se completa uma cadeia de mil aves de papel. Sadako fez 1.300, empenhada em superar a leucemia", explicou a representante da Sociedade Japonesa, Kazuko Minamoto.

Segundo a representante, a ave exposta em Nova York é uma das cinco que a família da menina conserva.

"Sua história se transformou em um símbolo de paz e de esperança para acabar com o uso de armas nucleares", explicou. EFE bs/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG