Parentes de vítimas da TAM entregam plano de memorial

As famílias das vítimas do acidente com o A320 da TAM entregaram à Prefeitura de São Paulo o projeto de um memorial, elaborado pelo arquiteto Ruy Ohtake, em homenagem aos 199 mortos no maior desastre da história da aviação brasileira. O Memorial 17 de Julho, como foi batizado, é mais ambicioso do que a Praça dos Ipês Amarelos, proposta apresentada pela Prefeitura em setembro do ano passado, sem aval dos parentes.

Agência Estado |

O novo desenho, obtido com exclusividade pela reportagem do Jornal da Tarde , está sob análise da Secretaria Municipal de Governo. A secretária-adjunta da pasta, Stela Goldenstein, diz que não há definição sobre o assunto, mas adianta que a intenção é conciliar o interesse das famílias às demandas sociais e resolver a situação rapidamente.

O desenho de Ohtake prevê um marco, materializado por meio de uma grande rosa estilizada, e a construção de um prédio multiuso, com térreo e dois subsolos. A obra abrigaria, distribuídos pelos três pavimentos, um auditório, um espaço destinado a oficinas artísticas, um estacionamento e um ponto para que passageiros do Aeroporto de Congonhas façam check-in. O arquiteto doou o projeto às famílias.

Os nomes das vítimas do desastre aéreo ficariam gravados no hall de entrada, numa estrutura metálica revestida com aço carbono, mesmo material que comporia a flor projetada no anexo do prédio. A árvore remanescente do desastre seria preservada. O projeto está orçado em R$ 6 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG