Parentes de passageiros têm acompanhamento psicológico em Paris

PARIS - Os parentes e amigos dos passageiros do vôo 447 da Air France, que desapareceu dos radares no Oceano Atlântico na madrugada desta segunda-feira, estão reunidos neste momento em uma sala privada do terminal D do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris.

Alline Cury, correspondente do iG em Paris |

Os parentes dos passageiros estão sendo atendidos por médicos e psicólogos contratados pela companhia Air France. Do lado de fora, também no terminal D, a imprensa aguarda informações sobre a lista de passageiros do avião, que deve ser divulgada na tarde desta segunda-feira.

Sarkozy pede investigação

Na manhã desta segunda-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu ao governo e às administrações responsáveis que investiguem o que aconteceu com o voo da Air France procedente do Rio de Janeiro que desapareceu hoje.

Em comunicado emitido pelo Palácio do Eliseu, Sarkozy disse que pediu às autoridades "que coloquem todo seu empenho em seguir a pista do avião", que deveria ter chegado esta manhã ao aeroporto Charles de Gaulle, em Paris.

"Informado esta manhã da perda de contato com um Airbus A330 da Air France que cobria a rota Rio de Janeiro-Paris Charles de Gaulle, o presidente da República manifesta sua viva inquietação", afirma o comunicado.

Sarkozy pediu "imediatamente" que o ministro do Desenvolvimento francês, Jean-Louis Borloo, que se deslocasse ao aeroporto, onde a companhia área habilitou uma área especial no terminal número 2 para receber parentes das mais de 200 pessoas que estavam a bordo do aparelho desaparecido.

Avião da Air France desaparece no Oceano Atlântico; assista:

Leia também:

Leia mais sobre: viagem aérea

* Com AFP

    Leia tudo sobre: acidente aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG