SÃO PAULO - Uma pesquisa, divulgada nesta segunda-feira pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, aponta que o próprio parceiro responde por 67,8% dos casos de violência contra as mulheres.

As mulheres representam 75% das vítimas atentidas pelos serviços públicos de saúde com marcas de agressão. O estudo levou em conta 1.286 casos de violência contra pessoas entre 20 e 39 anos no Estado de São Paulo, entre janeiro e maio deste ano.

Quanto ao local de ocorrência da agressão, em mais de 70% dos casos ele se dá dentro de casa e apenas 18,2% em bares, escolas e estabelecimentos comerciais.

Entre as violências, o tipo mais comum é a física, com 59% das ocorrências. Em seguida, está a violência psicológica (agressão verbal), com 18%, a auto-infligida (13%) e sexual (5%).

Mulheres agredidas física ou sexualmente tendem a desenvolver sintomas como estresse pós-traumático, depressão, ansiedade, síndrome do pânico e distúrbios alimentares, afirmou, por meio de nota, Vilma Pinheiro, responsável pela Divisão de Acidentes e Violências da Secretaria de Saúde.

Leia mais sibre: violência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.