http://educacao.ig.com.br/acordo_ortografico/Acordo Ortográfico hspace=4 src=http://images.ig.com.br/educacao/reforma_140x75.gif align=left vspace=3 border=0 Um grupo de 139 homens da Polícia Militar (PM), do Corpo de Bombeiros, da Polícia Ambiental, da Companhia de Choque e da Defesa Civil do Paraná está pronto para ajudar no socorro às vítimas das chuvas em Santa Catarina. Parte desse grupo já estava atuando hoje em Itajaí, Joinville e Gaspar.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul também informou que enviará 70 carretas carregadas de colchões e mantimentos, além de kits de limpeza, para o Estado catarinense.

Reuters
Santa Catarina
As chuvas também causaram a ruptura de um tubo de gás do gasoduto Brasil-Bolívia entre as cidade de Luiz Alves e Blumenau e, por isto, o abastecimento de gás está interrompindo do município de Guaramirim até Rio do Sul. Além disso, 3 rodovias federais e 12 estaduais estão com trechos interdidatos por quedas de barreiras, deslizamentos de terra, alagamentos e pistas que cederam com a força das águas, de acordo com a Defesa Civil do Estado.  

Em Blumenau, 150 mil pessoas estão sem energia elétrica. Outras 100 mil tiveram o fornecimento interrompido em cidades vizinhas. O Correia também suspendeu alguns serviços de entrega rápida no Estado, nesta segunda.

Parte dos agentes paranaenses destacados para o socorro precisaram deter-se no quilômetro 684 da BR-376, próximo à divisa entre Paraná e Santa Catarina, onde houve deslizamento da encosta, que interditou totalmente a rodovia pela manhã. A estrada ainda não foi liberada. Segundo o Corpo de Bombeiros, os chamados de moradores em dificuldades são repassados à central, que aciona os homens em campo.

Em acordo direto com o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB), o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), acertou ainda o envio de 17 barcos para a ajuda. Dois helicópteros e um avião também estão à disposição para qualquer eventualidade. Cachorros treinados na busca de pessoas acompanham as equipes.

A força-tarefa teve dificuldades para chegar aos locais onde vão atuar em razão das interdições de estradas e dos congestionamentos. Segundo o coordenador estadual da Defesa Civil e secretário-chefe da Casa Militar do Paraná, tenente-coronel Washington Rosa, para realizar um trajeto de 130 quilômetros entre Curitiba e Joinville, foram gastos 10 horas. O governo do Paraná deu início hoje a uma campanha de coleta de alimentos, roupas e cobertores com o intuito de ajudar os desabrigados catarinenses. As doações podem ser entregues nos quartéis do Corpo de Bombeiros.

Ajuda do RS

Além de colchões e mantimentos, o governo gaúcho já mandou a Santa Catarina um helicóptero da Brigada Militar (BM, a PM gaúcha) para auxiliar no resgate de vítimas isoladas e conseguiu que o 5º Comando Aéreo Regional (Comar) da Força Aérea Brasileira (FAB) enviasse outro helicóptero e um avião Bandeirantes. A informação é do coordenador da Defesa Civil gaúcha, capitão Luís Fernando Santos Carlos.

Segundo ele, somente para os 12 mil colchões pedidos pelo governo de Santa Catarina serão necessárias 60 carretas que trafegarão pela BR-116, porque as estradas do litoral, principalmente a BR-101, estão bloqueadas por deslizamentos de barreiras ou ameaçadas pelas águas das enchentes. Carlos informou que a Defesa Civil catarinense pediu ainda lonas pretas, 2,4 mil kits de material de limpeza e 5 mil cestas básicas. O material será enviado no decorrer da semana.

Os dirigentes da operação em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul pediram a Força Aérea Brasileira (FAB) o empréstimo de um avião Hércules para transportar os alimentos e o material de limpeza com maior rapidez, uma vez que o tráfego é lento pela BR-116. Os 20 homens da Defesa Civil gaúcha estão trabalhando no auxílio dos catarinenses, mas o capitão Carlos não descarta a utilização de outros homens da BM.

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.