Divergências no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) levaram a uma paralisação de motoristas e cobradores de ônibus, que deixou 560 mil usuários sem transporte público em Fortaleza na manhã desta quarta-feira. De acordo com a Prefeitura, ontem à noite, integrantes do Sintro bloquearam os terminais, de onde sai a frota municipal, de 1.630 veículos.



Pela manhã, a Polícia Metropolitana e a Guarda Municipal trabalhavam na desobstrução dos terminais, pois os ônibus foram estacionados e tiveram os pneus esvaziados. Algumas linhas já circulavam normalmente, segundo a Prefeitura. No dia 30 de abril, a diretoria do sindicato assinou acordo salarial coletivo com as empresas de transporte urbano, mas parte da categoria não concorda com os termos, pede a anulação do acerto e protesta contra a atual diretoria, eleita em 2005.

Segundo a Agência Nordeste, os fortalezenses estão se utilizando de transporte alternativo. Os mototaxistas resolveram aumentar em 400% o valor da tarifa cobrada. Saiu de R$ 2,00 para R$ 10,00, por ocasião da manifestação.

A greve da categoria é por reajuste salarial de 28%. O piso salarial é hoje de R$ 1 mil. Os grevistas fecharam os terminais de ônibus. O Sindicato das Empresas pediu ajuda da Polícia Militar para fazer rodar os ônibus com motoristas que não estão querendo fazer greve. Os fortalezenses estão se utilizando de transporte alternativo. Os mototaxistas resolveram aumentar em 400% o valor da tarifa cobrada. Saiu de R$ 2,00 para R$ 10,00, por ocasião da manifestação.

Leia mais sobre: greve de ônibus

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.