BRASÍLIA - Como meio de apoio à http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/04/24/professores+param+para+pedir+aplicacao+da+lei+do+piso+nacional+do+magisterio++5708959.html target=_topparalisação dos professores da rede básica de ensino público de todo o País, que ocorre nesta sexta-feira (24), os educadores da rede de ensino do Distrito Federal se reuniram em assembleia na Esplanada dos Ministérios durante a manhã.

A paralisação nacional é organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e defende a implantação do Piso Salarial Nacional do Magistério em todos os Estados e municípios.

Agência Brasil
Professores da rede pública de ensino do Distrito Federal participam de assembleia

A lei que entrou em vigor no dia 1° de janeiro estabelece o piso de R$ 950 a ser pago à categoria em território nacional, no entanto, a entidade indica que menos da metade dos Estados do País cumpre a regra.

Cerca de oito mil professores de escolas públicas do DF compareceram à mobilização que também discute reajuste salarial para a categoria. O repasse vem sendo negado pelo governo do DF e é o motivo da greve de 60% dos profissionais, desde o último dia 7.

Estamos aqui em solidariedade ao CNTE e por isso decidimos fazer a assembléia neste local (em frente à Catedral na Esplanada dos Ministérios), explicou o diretor jurídico do Sindicato dos Professores do Distrito Federal, Washington Dourado.

Os professores do DF pedem reajuste salarial de 15,31%, obrigatório por lei distrital. Atualmente o piso da categoria é R$ 2.776. Uma nova assembleia está marcada para a próxima terça-feira (28), quando o sindicato irá analisar a medida do GDF, propôs um reajuste salarial de 5% retroativo a março.

Em julho, o governo analisará o crescimento da Receita. Se este crescimento for acima de 5%, essa diferença será paga aos professores a partir daquele mês. Se não, o reajuste se manterá nos mesmos 5%.

Leia também:

Leia mais sobre: greve dos professores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.