A paralisação dos ferroviários de São Paulo será julgada depois de amanhã. A decisão foi anunciada hoje, após uma audiência de conciliação entre sindicatos e representantes da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT 2), na capital paulista.

Na ocasião, dois dos quatro sindicatos que representam os funcionários da CPTM aceitaram a última proposta feita pela empresa, de reajuste de 4,65%.

A paralisação da categoria para forçar aumento salarial começou a 0h de sábado, mas os trens operaram normalmente no final de semana, quando ocorreram os treinos e o GP Brasil de Fórmula 1. Os ferroviários reivindicavam 4,44% de reajuste relativo às perdas salariais, mais 5% de aumento real.

Para impedir que a greve causasse problemas, o TRT concedeu liminar quinta-feira, determinando que parte dos serviços fosse mantida durante a paralisação, sob pena de multa diária de R$ 100 mil caso a ordem fosse desrespeitada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.