Para Virgílio, CSS poderá ser contestada no Supremo

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse hoje que se o Supremo Tribunal Federal (STF) for pressionado, a Contribuição Social para a Saúde (CSS) não deverá nem mesmo tramitar no Senado Federal. Na avaliação do líder tucano, que participou hoje do Congresso da Indústria 2008, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na capital paulista, a matéria é inconstitucional.

Agência Estado |

Além disso, Virgílio disse que a matéria representa um desrespeito institucional do governo ao Senado, que em dezembro do ano passado derrubou a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "O governo tem que aprender certos símbolos e também o respeito institucional", afirmou. Para ele, a CSS deverá ser julgada pelo STF porque não deverá haver clima para sua apreciação no Senado, já que este é um ano eleitoral e a pauta da Casa esta abarrotada. "Não consigo imaginar esta matéria tramitando no Senado. E se tramitar, tenho certeza que não vai passar."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG