Para Sérgio Guerra, Sarney já não preside o Senado

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), afirmou hoje que o senador José Sarney (PMDB-AP) já não preside mais de fato o Senado, depois da crise que se instalou na Casa e da posição dos partidos pedindo o afastamento do peemedebista. A grande tragédia do dia de hoje é que não temos mais presidente no Senado, disse Guerra.

Agência Estado |

Sarney aparece entre parlamentares beneficiados por atos secretos na Casa. Além disso, o esquema de crédito consignado no Senado, alvo de investigação da Polícia Federal (PF), inclui entre seus operadores José Adriano Cordeiro Sarney, neto do peemedebista.

No plenário, o presidente tucano relatou que procurou Sarney lhe propondo que formasse uma comissão para, ao longo dos próximos dois meses, tomasse medidas para recuperar a instituição. A comissão teria autoridade para tomar as medidas que fossem necessárias. "Seria uma transição desse momento para um momento novo. Fora disso, é o imprescindível o que vai acontecer", disse. "Já se estabeleceu de fato que o presidente Sarney não preside o Senado nesse momento."

O discurso de Guerra provocou mais discussão no plenário. O primeiro vice-presidente, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), que preside a sessão, protestou. Ele afirmou ter condições para colaborar com as mudanças que precisam ser feitas na Casa. "Não gostaria de ser diminuído", disse o vice-presidente do Senado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG