responsável pela fundação que leva o seu nome abriu caminho para uma investigação por quebra de decoro parlamentar. Para senadores ouvidos neste domingo, Sarney mentiu em plenário ao afirmar, na quinta-feira, que não tem ¿nenhuma responsabilidade administrativa¿ na Fundação José Sarney, suspeita de desviar R$ 500 mil de uma verba da Petrobras para contas de empresas fantasmas e da família do senador." / responsável pela fundação que leva o seu nome abriu caminho para uma investigação por quebra de decoro parlamentar. Para senadores ouvidos neste domingo, Sarney mentiu em plenário ao afirmar, na quinta-feira, que não tem ¿nenhuma responsabilidade administrativa¿ na Fundação José Sarney, suspeita de desviar R$ 500 mil de uma verba da Petrobras para contas de empresas fantasmas e da família do senador." /

Para senadores, quebra de decoro de Sarney ficou clara

BRASÍLIA - A confirmação de que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é o http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/07/11/documento+de+fundacao+derruba+versao+de+sarney+7241949.html target=_topresponsável pela fundação que leva o seu nome abriu caminho para uma investigação por quebra de decoro parlamentar. Para senadores ouvidos neste domingo, Sarney mentiu em plenário ao afirmar, na quinta-feira, que não tem ¿nenhuma responsabilidade administrativa¿ na Fundação José Sarney, suspeita de desviar R$ 500 mil de uma verba da Petrobras para contas de empresas fantasmas e da família do senador.

Agência Estado |

A mentira configura quebra de decoro. É coisa para perder o mandato, avalia o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), indicado para integrar o Conselho de Ética.

Agência Brasil
Para senadores ouvidos, Sarney mentiu em plenário sobre fundação

O jornal "O Estado de S. Paulo" revelou no sábado que o estatuto da entidade não deixa dúvidas sobre o comando exercido pelo parlamentar. Como fundador e presidente vitalício da entidade, Sarney assume responsabilidades financeiras, tem poder de veto e preside o conselho curador, formado por amigos e familiares.

Um artigo diz que, em caso de morte de Sarney, sua mulher ou alguém da família assumirá o comando. Mais: uma coleção de fotos mostra o presidente do Senado assinando o convênio com a estatal em dezembro de 2005.

Na quinta-feira, em plenário, Sarney respondeu a uma indagação do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) sobre as denúncias de desvios na fundação - que recebeu R$ 1,3 milhão da estatal para um projeto que não saiu do papel. Quero dizer a Vossa Excelência que eu não tenho nenhuma responsabilidade administrativa naquela fundação, respondeu ele, segundo registro das notas taquigráficas. Dias sugere que a contradição seja investigada pelo Conselho de Ética. De boa ou má-fé, houve uma falsa informação.

A assessoria de Sarney alega que ele deu poderes para o amigo José Carlos Sousa Silva presidir em exercício a fundação. O "Estado" obteve o documento. O senador não abre mão do controle da entidade nem da presidência vitalícia. Apenas diz que o amigo - indicado por ele para ser juiz no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) - poderá substitui-lo em sua ausência. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo."

Leia também:

Leia mais sobre: Sarney - Senado

    Leia tudo sobre: fundação sarneysarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG