Para salvar filha, idosa enfrenta suspeito armado

Para salvar a filha de um assaltante, a aposentada Maria Angélica Sountag, de 69 anos, lutou com o ladrão na porta da casa da família, ontem de manhã, em Higienópolis, na região central, área nobre de São Paulo. Maria Angélica conseguiu correr atrás do suspeito, pulou em cima dele e o imobilizou até que o homem fez dois disparos para o alto e fugiu.

Agência Estado |

Um dos tiros atingiu de raspão o joelho de um estudante de Jornalismo de 23 anos que havia ido buscar a namorada na Universidade Mackenzie. O jovem foi hospitalizado e, após remover a bala, recebeu alta.

O assaltante, identificado como Dalessandro Manguelli, de 31 anos, acabou detido pela Polícia Militar (PM). Ele confessou a tentativa de roubo e foi reconhecido pelas vítimas. Um comparsa, que teria fugido em uma moto, continuava foragido até a noite de ontem.

De acordo com o primeiro-tenente da PM André Luiz Zandonadi, comandante da 3 ª Companhia do 7º Batalhão (Higienópolis), a filha de Maria Angélica, a corretora de imóveis Suzana Sountag, de 46 anos, foi abordada pelo assaltante por volta das 11 horas de ontem quando abriu o portão de casa. A vítima tinha acabado de sacar dinheiro em um banco do bairro e entregaria a quantia para a mãe. As duas tinham mudado para o endereço há pouco. Mãe e filha iriam dormir pela primeira vez na casa na noite de ontem.

Ainda segundo o primeiro-tenente, o suspeito ordenou que Suzana entregasse a bolsa e queria ainda entrar na residência para pegar mais dinheiro. Suzana teria ficado com medo de a mãe se assustar com a presença do criminoso e gritou por socorro.

A mãe dela, que cuidava do jardim da residência, ouviu os apelos e correu até o portão para ver o que acontecia e encontrou a filha caída na calçada. Segundo o oficial da PM, Manguelli teria dado uma coronhada em Suzana e a derrubado sem levar nada. Maria Angélica correu atrás do homem. Os dois lutaram no meio da rua. "Eu pulei várias vezes em cima dele e ele em cima de mim", contou a dona de casa. A briga só acabou depois que o assaltante deu três coronhadas na cabeça da dona de casa e vários arranhões. Em seguida, o homem atirou duas vezes e correu em direção à Consolação.

Ficha

De acordo com o oficial, Manguelli tinha passagem por roubo. Ele foi preso no ano de 2006 e estava em liberdade condicional. O rapaz portava uma pistola 380 com a numeração raspada. O preso foi reconhecido por mãe e filha e pelo estudante baleado.

Um segundo homem foi preso quando estava parado na frente de um túmulo no Cemitério da Consolação. Ele era suspeito de dirigir uma moto e dar cobertura a Manguelli. Ao ser levado para o 4º Distrito Policial (DP), da Consolação, ele acabou liberado, pois mostrou que em seu RG havia o nome da mãe, o mesmo da placa do túmulo.

"É importante dizer que a ajuda da população foi fundamental na captura do indivíduo. As pessoas ligaram para o telefone 190 da PM e passaram as características do suspeito, que acabou preso por nós", disse o primeiro-tenente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG