Para marcar os 100 anos de Futurismo, Roma mergulha na fantasia criativa

Exatamente um século após a proclamação do Futurismo, Roma propõe a partir desta sexta-feira uma série de acontecimentos para precipitar a cidade no dinamismo e na fantasia criativa do movimento lançado pelo escritor italiano Filippo Tommaso Marinetti.

AFP |

A partir da noite desta sexta-feira, as primeiras iniciativas da "Futuroma" estarão visíveis nas ruas da capital, com apresentações "de pintura neofuturista", dança, música, e com uma instalação audiovisual criada especialmente pelo músico inglês Brian Eno.

Uma grande exposição no museu "Scuderie del Quirinale", em colaboração com o Centro Georges Pompidou de Paris e a Tate Modern de Londres, contará com dezenas de obras - principalmente quadros - pertencentes à corrente do Futurismo.

Para homenagear a fantasia criativa de um dos movimentos artísticos mais extraordinários do século XX", a prefeitura propõe até o dia 16 de maio um rico calendário - 45 projetos - para "fazer reviver" um dos movimentos artísticos mais importantes do século XX.

O futurismo é uma corrente artística e literária nascida na Itália em torno do escritor Filippo Tommaso Marinetti (1876-1944).

Em seu Manifesto do Futurismo (1909), Marinetti expõe as ideias principais do movimento. Resolutamente provocadores, os futuristas enaltecem a destruição do passado e exaltam a modernidade, em particular as máquinas, a velocidade e o movimento.

kd/fmi/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG