SÃO PAULO -O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, defendeu o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP). Para o ministro, até hoje o que existem são configurações e relações entre o deputado e as denúncias contra ele. Provas não existem, disse.


Lupi havia dito nesta segunda-feira que Paulinho renunciará à presidência do PDT de São Paulo ainda nesta semana. Paulinho corre risco de ser cassado pela Câmara sob acusação de participar de um esquema de desvio de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"Se isso de fato ocorreu, quem se beneficiou foi também o prefeito da cidade de Praia Grande (Alberto Mourão), que é do PSDB. Vale ver porque não há uma investigação sobre esse prefeito", afirmou.

Ele garante, porém, que seu nome não foi citado em nenhuma das gravações obtidas pela Polícia Federal. "Ninguém encontrará meu nome", disse o ministro, que está em Genebra nesta semana participando de reuniões na Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Leia mais sobre Paulinho e o BNDES

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.