Para Kassab, indicação do DEM a vice não é obrigatória

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), disse hoje que não vê como mandatória a indicação do candidato a vice-presidente por seu partido em uma eventual chapa encabeçada pelo governador do Estado, José Serra (PSDB), à Presidência da República. Eu não tenho essa posição, afirmou ele hoje, na capital paulista.

Agência Estado |

Após as denúncias de corrupção envolvendo a cúpula do governo do Distrito Federal, que provocaram certo afastamento entre DEM e PSDB, cresceram as apostas de uma chapa puro-sangue para disputar a sucessão ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, encabeçada por Serra e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB).

Segundo o prefeito, é preciso aguardar a consolidação da candidatura Serra para depois pensar quem será o candidato a vice, que teria de ser "alguém preparado do ponto de vista administrativo". Questionado sobre se seria Aécio, Kassab disse: "Pode ser, seria excelente."

Mais uma vez Kassab disse estar alinhado ao governador e se mostrou tranquilo quanto a uma eventual chapa sem o DEM na disputa presidencial. "Minhas posições estarão, com certeza, vinculadas ao projeto do governador José Serra. O governador quer iniciar as conversas em março. Torço para que ele se defina candidato."

Governo estadual

Quanto à sucessão estadual, o prefeito paulistano reiterou que a questão ainda não está na pauta de discussões entre DEM e PSDB e que apenas em março será analisada a aliança entre os dois partidos na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. "Vamos aguardar. Cabe ao governador definir o caminho da aliança." Kassab participou hoje, ao lado de Serra, da Conferência Internacional sobre Direitos Humanos, promovida pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV), da Universidade de São Paulo (USP), e pelo governo paulista.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG