Para Hartung, crise exige atenção com reforma tributária

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), alertou hoje que o impacto da crise econômica nas receitas públicas exige atenção com os efeitos da reforma tributária. Estamos vivendo momento de crise econômica, que já tem impacto grande nas receitas públicas para 2009 e para 2010.

Agência Estado |

Temos que olhar com muita atenção, conhecer com muita profundidade o impacto (da reforma tributária) nas finanças públicas", afirmou. O governador esteve reunido hoje com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir a proposta da reforma tributária.

Além de sua equipe econômica, o governador levou para a reunião toda a bancada de parlamentares do Estado na Câmara e no Senado. Ele disse que está dialogando com o governo a reforma tributária "de forma ampla", mas evitou dar qualquer detalhe sobre a discussão travada com o ministro e também sobre a posição do Estado. "Não tenho posição. Vamos tomar posição", disse o governador, sobre o relatório da proposta de reforma tributária, apresentado pelo relator, deputado Sandro Mabel (PR-GO).

O governador do Espírito Santo se esquivou quando questionado sobre sua posição crítica, quando a proposta foi enviada ao Congresso Nacional. Hartung limitou-se a afirmar que, na época, divergia sobre uma posição a respeito da cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) no preço do gás. E justificou que agora o relatório de Mabel é novo.

Paulo Hartung afirmou ainda que esta é a primeira vez que discute o assunto com o governo. Ele disse que vai conversar ainda hoje com o presidente da comissão de reforma tributária, deputado Antonio Palocci (PT-SP). Além disso, lembrou, secretários estaduais de Estado da Fazenda estão em Brasília debatendo com o tema com o relator.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG