Para FHC, País vive crise de descrédito institucional

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou hoje que existe uma crise de descrédito institucional no País e criticou a impunidade. A descrença no Congresso é uma coisa alarmante, declarou.

Agência Estado |

Para o ex-presidente, o Executivo pauta o Congresso pelas medidas provisórias (MPs). Ele reconheceu que ele mesmo agiu assim, quando na Presidência, mas observou que quando o governo deixa de mandar MPs, "o Congresso pára e aí é CPI". Segundo Fernando Henrique, esse poder da Presidência "é uma espécie de autoritarismo disfarçado".

O deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), também presente ao evento, referiu-se também a uma crise institucional e citou que não está satisfeito, por exemplo, com o funcionamento do Judiciário. O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), também presente ao debate, atacou a imunidade parlamentar que acredita que é sentida pela população de uma forma negativa, como se fosse um déficit de democracia.

Fernando Henrique concordou com os dois e afirmou que a impunidade existe não só para os parlamentares. "A lei tem que valer para todos. Não vale. É muito difícil a credibilidade das instituições. Não há democracia quando a lei não vale", observou. O ex-presidente citou que na cidade americana em que morou, Providence, um ex-prefeito, que fez muitas obras e é considerado bom nesse sentido, está na cadeia.

Para ele, em outros países, também há corrupção, mas lá "tem cadeia". O ex-presidente criticou a impunidade no Brasil. "Não estou querendo que vá todo mundo para a cadeia aqui, porque é muita gente. Teria que construir penitenciária nova", disse o ex-presidente, arrancando risadas da platéia. "Mas alguém tem que ir para a cadeia", completou.

Fernando Henrique sugeriu ainda que o Brasil aproveite o bom momento econômico que está vivendo para investir em educação e se preparar para o futuro. "Vamos ter que trocar minério por neurônio. Trocar minério por tecnologia ou educação", disse Fernando Henrique. Na sua opinião, não fazer isso seria como deixar que prefeitos asfaltem ruas sem necessidade, gastando mal recursos como os dos royalties. Em outro momento, Fernando Henrique citou o grande cosmopolita que foi José Bonifácio. "Hoje ser cosmopolita é crime. Falar português correto é suspeito", declarou.

O ex-presidente fez palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), defendendo o voto distrital. Para ele, essa seria uma das mudanças positivas para o futuro. Ele considera que esse seria um bom momento para trabalhar pelo voto distrital, que acredita ser mais fácil de implantar inicialmente em eleições para vereadores. "Na prática, as pessoas não querem mudar. Só mudam quando há pressão ou crise. E já há uma crise", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG