requentada - Brasil - iG" /

Para família Sarney, matéria sobre imóvel em São Paulo é requentada

BRASÍLIA - O deputado federal Sarney Filho (PV-MA) afirmou nesta sexta-feira que não há mais o que dizer sobre a compra de um apartamento, com a ajuda da empreiteira Aracati Holdenn Construções Assessoria e Consultoria Ltda, nos Jardins, em São Paulo.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

Zequinha Sarney, como o deputado é conhecido, afirmou que a reportagem do jornal O Estado de S.Paulo é requentada.  É uma matéria requentada que visa mais uma vez atingir o meu pai, por isso que eu não respondi, porque da outra vez eu já tinha respondido, alegou o parlamentar em entrevista à rádio CBN. Sua assessoria de imprensa disse que tudo que Sarney Filho diria já foi dito e mandou uma nota antiga, em que ele explica como foi a compra do imóvel.

AE

Fachada do prédio em SP

Fachada do prédio em SP

O apartamento 22 citado na matéria é um imóvel pequeno (85m2 de área habitável) no mesmo prédio em que morei quando era estudante. Tem seu contrato de promessa de compra e venda registrado em cartório e está devidamente informado na Declaração de bens e direitos no meu imposto de renda, inclusive a quantia já paga. A escritura definitiva será passada para o meu nome tão logo ocorra a quitação total. O apartamento 32, também citado na matéria como da família, não nos pertence", diz a nota em resposta à reportagem de 16 de agosto, em que O Estado revelou que dois dos três apartamentos usados pela família estavam registrados em nome da empreiteira. Sendo que um terceiro, o de número 82, foi comprada em 1979 por José Sarney.

A reportagem do "Estado", publicada nesta sexta-feira, traz extratos apontando que a empresa Holdenn Construções pagou R$ 270 mil, por pelo menos um dos imóveis da família, por meio de duas transferências bancárias, efetuadas em 20 de fevereiro de 2006, data da assinatura da escritura.

Exatamente com as mesmas palavras, a assessoria do presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP), se referiu à matéria jornalística e, justamente, por este motivo, o senador não iria emitir nenhuma nota nem comentar o assunto.

De acordo com a empreiteira e com o deputado, o que houve foi um contrato de gaveta. A companhia teria comprado o apartamento e depois dividido o valor em prestações para Zequinha Sarney, que chegou a declarar estes gastos no imposto de renda. Eu já provei. Está no meu imposto de renda. É evidente que é uma requentada da matéria, porque não há fato novo que possa atingir Sarney [pai]. Estão querendo criar, defendeu. No mesmo prédio, a família possui três apartamentos.

Em agosto, Sarney foi ao plenário do Senado explicar as denúncias sobre a suposta troca de favores da família com a empresa na compra dos imóveis em São Paulo. Na ocasião, Sarney acusou o jornal de promover uma campanha sistemática contra ele e questionou: meu Deus, tenho que explicar aqui no Senado qualquer coisa que eu compre na vida? (..) O Estado que era lido, respeitado, passou a ser um tablóide londrino, daqueles que buscam escândalos para vender, apontou.

A empreiteira é de propriedade de Rogério Frota de Araújo, indicado como amigo dos filhos do Sarney. O questionamento da ajuda da Aracati à família Sarney seria o beneficiamento da companhia em negócios no setor elétrico, conhecida área de influência política da família Sarney. Procurada pela reportagem, a Holdenn Construções, que está com sede em Brasília, ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Leia mais sobre: Sarney

    Leia tudo sobre: sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG