Para especialista, acupuntura deveria ser feita desde o nascimento

A acupuntura ganha a cada dia novos adeptos que querem cuidar tanto do corpo como da alma. Pudera, o tratamento é referência entre as terapias alternativas.

Agência Estado |

Para a cultura chinesa, as doenças são causadas pelo bloqueio da circulação de energia e, como consequência, geram desequilíbrios energéticos entre meridianos e órgãos. O adoecimento teria, então, três fases: energética, funcional e orgânica. Para o presidente da Sociedade Brasileira de Psicologia e Acupuntura (Sobrapa), Belvo Ferraz da Silva, o indivíduo deveria começar a acupuntura desde a concepção, para que a criança possa nascer em melhores condições física, psíquica e mental. Depois, deve mantê-la por toda a vida.

É claro que ninguém diz que a acupuntura vai curar as doenças. Mas, segundo o presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura, Marcius Mattos Ribeiro Luz, se estiverem na fase funcional e energética, a cura é bem mais provável, porque a terapia chinesa "tira a energia" até de um tumor. Dessa forma, é possível equilibrar a circulação energética, estimulando determinados pontos do corpo - que são "marcados" ao longo de linhas chamadas meridianos.

Além das agulhas manipuladas em uma seção de acupuntura, os meridianos podem ser estimulados por meio dos dedos, calor, cor, esparadrapo e até pela respiração, consideradas as formas mais comuns. Os resultados surgem de acordo com o tratamento. "Se demorou 15 ou 20 anos para tirar o corpo do lugar, não pense que vai curá-lo em duas sessões", dispara Luz, que também é professor da Escola Paulista de Medicina.

Em casos de cólicas menstruais, por exemplo, a acupuntura pode até funcionar para aliviar a dor momentânea. Mas quando a paciente quer realmente acabar com a cólica, o tratamento pode durar seis meses, dependendo da fase em que está. "Se a paciente entender o que tem de ser feito, não precisará fazer a manutenção durante seis anos." Segundo Luz, a acupuntura trata cerca de 100 patologias. "O chinês acredita que o corpo foi feito para ensinar o espírito. Ou o espírito aprende, ou o corpo padece", diz Luz.

Estética

O cardiologista Gabor Tomas Fonai diz que essa história de emagrecer com acupuntura é enganação: a pessoa tem de fazer dieta, exercícios e contar com a terapia chinesa para harmonizar o todo. "Tratamento estético existe, mas não é cirurgia plástica", destaca. Ele admite que uma ruga desaparece na hora, mas não é isso que vai rejuvenescer a pessoa. O que ocorre é que, se o músculo fica fraco, cai. Ao ser estimulado, se fortalece e é tonificado. Formado em medicina clínica, cardiologia e terapia intensiva pela Santa Casa de Misericórdia, Fonai aplica a acupuntura desde 1985 e garante que a terapia pode reverter até quadros de AVC (acidente vascular cerebral), quando intervém na urgência do quadro agudo.

Cristiana Vieira

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG