O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu criticou hoje a estratégia adotada por setores do PT e da base governista de apoiar a ideia de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputar um terceiro mandato. Em artigo publicado no seu blog, intitulado Duas táticas?, Dirceu avalia que a insistência nesse movimento traz prejuízos à candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e poderá inviabilizar as chances de vitória dela na eleição presidencial em 2010.

No artigo, Dirceu defende abertamente a candidatura de Dilma, sem fazer referência ao tratamento contra um câncer ao qual a ministra vem se submetendo. "Numa disputa presidencial não se pode ter duas táticas. Não tem como construir uma candidatura, a de Dilma Rousseff e, ao mesmo tempo, começar a seguir outra tática, a do terceiro mandato do presidente Lula", afirma o ex-ministro.

"Mesmo que essas iniciativas pró-terceiro mandato não tenham apoio ou sustentação no Congresso Nacional, que sejam posições individuais de parlamentares de alguns partidos, sem apoio de suas direções e lideranças, não devemos subestimar o prejuízo que podem provocar à pré-candidatura de Dilma Rousseff e ao PT", avalia. "É preciso pôr um fim e impedir o prosseguimento desse movimento enquanto é tempo, antes que comecemos a trilhar um caminho sem volta - o das duas táticas, esta sim uma rota segura para a derrota."

Nos últimos dias, vários parlamentares passaram a defender publicamente a tese do terceiro mandato para Lula, especialmente depois que Dilma teve que viajar às pressas para se tratar em São Paulo, por conta de uma reação ao tratamento quimioterápico. Na opinião do ex-ministro, sucedido na Casa Civil justamente por Dilma, o cenário político atual é adverso para uma mobilização em torno da aprovação de uma emenda constitucional que crie a possibilidade de Lula disputar um terceiro mandato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.