Para Dilma, socorro dos EUA ao mercado reforça Estado nacional

BRASÍLIA (Reuters) - A intervenção do governo dos Estados Unidos no mercado imobiliário era previsível, disse nesta segunda-feira a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Segundo Dilma, o receituário de que o Estado deveria deixar de atuar na economia só era seguido pelos países em desenvolvimento.

Reuters |

'Essa história do neoliberalismo valia para nós (países em desenvolvimento). Somente para nós. No mundo capitalista desenvolvido, nunca houve neoliberalismo', declarou Dilma a jornalistas depois de participar da abertura do seminário comemorativo dos 200 anos do Ministério da Fazenda.

'Em momento algum os estados nacionais dos países desenvolvidos foram enfraquecidos', reforçou a ministra.

Para Dilma, não é a primeira vez que os governos de países desenvolvidos agem para manter as condições de produção de suas economias ou minimizar crises.

'Não é a primeira que vez que fizeram isso, não vejo nada de fenomenal', afirmou.

No fim de semana, o governo norte-americano anunciou a decisão de assumir o controle das agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac para evitar a falência das empresas.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG