Para Associação Mundial de Jornais, fim de diários impressos é um erro

DUBLIN ¿ As vendas de jornais aumentaram 1,3% no mundo em 2008, e aqueles que anunciam a morte da imprensa escrita estão equivocados, afirmou nesta quarta-feira o irlandês Gavin OReilly, presidente da Associação Mundial de Jornais (AMJ).

AFP |

"Os jornais impressos estão atravessando este ano uma fase muito difícil, devido à crise que provocou a queda da publicidade", reconheceu, no entanto, O'Reilly em Barcelona, durante uma Conferência da AMJ sobre "O Poder da Imprensa Escrita".

Mas O'Reilly, diretor executivo do grupo Independent, com sede na Irlanda, criticou duramente os comentários dos meios de comunicação que anunciam a morte dos jornais. Segundo ele, isto é um erro, porque este ramo continua crescendo.

Os dados preliminares apresentados pela AMJ mostram que as vendas dos jornais por assinatura alcançaram 539 milhões de exemplares por dia em 2008 no mundo, o que significa um aumento de 1,3% em relação a 2007 e de 8,8% em quatro anos, destacou O'Reilly.

O aumento chegou ano passado a 1,6% se considerados os jornais gratuitos, com 40 milhões de exemplares distribuídos por dia.

Centenas de especialistas e editores de jornais participam nesta quarta-feira e na quinta-feira da conferência organizada na capital catalã pela AMJ, organismo que reúne 18.000 jornais em cinco continentes.

    Leia tudo sobre: imprensa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG