BRASÍLIA - O vice-líder do governo no Senado, Gim Argello (PTB-DF), disse nesta quarta-feira que, em sua avaliação, o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), mantém a posição de não se licenciar do cargo, mesmo depois da reportagem de hoje em que o jornal O Estado de S.Paulo revela diálogos gravados pela Polícia Federal que mostram prática de nepotismo pela família de José Sarney no Senado. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/07/22/ouca+os+dialogos+que+ligam+a+familia+sarney+a+favores+de+agaciel+7427938.htmlOuça os diálogos.

Argello disse que conversou com Sarney por telefone na noite de ontem, antes da publicação, e que o senador estava tranquilo.

Na avaliação de Argello, Sarney não tem mais o que dizer em relação às denúncias, pois sua defesa já foi feita mais de uma vez, em discursos no plenário. "Não há mais o que dizer. É melhor que o Conselho de Ética discuta este assunto daqui para frente", disse o vice-líder, que é um dos integrantes do conselho.

A próxima reunião do Conselho de Ética do Senado está marcada para 5 de agosto. Pesam contra Sarney quatro denúncias apresentadas pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) - duas responsabilizando o presidente do Senado pela edição dos atos secretos e duas sobre suposta participação dele em um esquema de desvio de dinheiro da Petrobras destinado a um projeto cultural da Fundação José Sarney.

O PSol também é autor de uma representação provocando os conselheiros a investigarem a responsabilidade de Sarney na edição dos atos secretos. Nesta manhã, o senador José Nery (PSOL-PA) informou que o partido estuda a possibilidade de apresentar nova representação contra Sarney com base no conteúdo das gravações publicadas hoje pelo jornal O Estado de S.Paulo.

As gravações apresentadas na reportagem, a maioria feitas em 2008, mostram também intervenções do senador José Sarney junto ao então diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, para garantir a nomeação de integrantes da família Sarney para cargos no Senado. Assessores disseram que estão tentando contato com o senador, que passa férias no Maranhão.

Veja também:



Leia mais sobre: 
Senado  - atos secretos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.