Para Aécio, é prematuro falar de apoio a Fogaça no RS

A hipótese de o PSDB apoiar na eleição para o governo gaúcho em 2010 o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), caso a eventual candidatura à reeleição da governadora Yeda Crusius fique inviabilizada, foi classificada hoje como prematura pelo governador de Minas Gerais, o tucano Aécio Neves. O mineiro reiterou que espera que as denúncias de uso de caixa 2 na campanha de Yeda sejam apuradas e esclarecidas, mas negou que ela esteja sendo abandonada pelos caciques da legenda.

Agência Estado |

Segundo Aécio, o partido, "como um todo, jamais deixou de respeitar e apoiar a governadora".

"Se ela tem problemas nesse campo, é preciso que esclareça à opinião pública, ao Ministério Público (MP), a quem seja. Mas eu registro apenas que há um ambiente de muita convulsão política no Rio Grande do Sul e que nos deixa cautelosos até para que possamos avaliar se essas denúncias têm fundamento ou se essas denúncias são fruto dessa radicalização política", afirmou.

Sobre a possibilidade de o PSDB embarcar numa eventual candidatura peemedebista, Aécio classificou a hipótese como "uma antecipação tão grande, tão prematura do quadro eleitoral". Segundo ele, o partido aguarda a apresentação de provas e cobra que seja dado a Yeda o direito de se defender. "É isso que estamos aguardando. E enquanto isso não ocorrer, ela continua tendo o nosso apoio."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG