Pane da Telefônica também afeta litoral e interior de SP

A pane no sistema de transmissão de dados da Telefônica também causou transtornos a cidadãos e órgãos públicos do interior de São Paulo e da Baixada Santista. Em Campinas e Ribeirão Preto, unidades do Poupatempo ficaram com o sistema fora do ar durante todo o dia.

Agência Estado |

Delegacias também tiveram problemas para registrar boletins de ocorrência. A situação foi mais amena no litoral do Estado, onde a pane trouxe problemas, mas não afetou os serviços essenciais das principais prefeituras da região.

As duas unidades do Poupatempo de Campinas, onde são feitos ao menos 900 registros diários de identidade, ficaram com o sistema fora do ar durante todo o dia. Quem saiu de casa sem saber do "apagão", perdeu a viagem. Nas delegacias de polícia, a orientação era ter paciência. "Não tivemos nada muito grave hoje, mas as ocorrências registradas foram feitas no sistema Windows ou pedíamos às pessoas que pudessem para retornar depois", disse o delegado assistente Renato Pereira, do 4º Distrito Policial.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), responsável pelo gerenciamento do sistema de trânsito e transporte, deixou de receber ao menos 4 mil imagens registradas pelos radares espalhados pelas ruas da cidade, média diária de registros de infrações que passam por auditoria. Segundo informou a Emdec, por meio de assessoria, as imagens registradas pelos radares hoje não foram perdidas. Elas apenas não chegaram, via internet, como rotineiramente, mas serão avaliadas após a normalização no sistema.

Em Ribeirão Preto, além do Poupatempo, as agências do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) ficaram praticamente paradas. Os computadores ficaram desligados e os funcionários cruzaram os braços, com os bancos, geralmente lotados, vazios. O único serviço que funcionou no Poupatempo foi de entrega de Carteira de Trabalho e de seguro-desemprego, que estavam prontos e não dependiam de conexão online.

As delegacias da região tiveram situações diferentes. As 15 cidades sob a jurisdição da Seccional de Ribeirão Preto, que já utilizam o Registro Digital Online (RDO), por exemplo, só voltaram à normalidade quando o delegado Rafael Rabinovici determinou a reinstalação do sistema antigo de registro de boletins de ocorrência. Durante a noite e madrugada os registros de boletins ficaram praticamente parados.

Na região de Franca, as delegacias de 17 cidades não tiveram problemas com internet, pois a operadora de telefonia não é a Telefônica. Mas a conexão intranet, pela Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), para a transmissão de dados estatísticos, ficou fora do ar. Essas cidades ainda não utilizam o sistema RDO. Pessoas físicas e empresas também foram afetadas, pois ficaram sem o serviço de banda larga Speedy.

Baixada Santista

De acordo com o Chefe do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter) de Santos, Waldomiro Bueno Filho, embora o problema tenha atrasado o registro das ocorrências nas delegacias, o trabalho continuou sendo feito em toda a região. Segundo ele, a pane também fez com que os policiais passassem a realizar pesquisas manualmente. O problema na Telefônica não prejudicou inclusive uma operação iniciada hoje. Durante todo o dia, cerca de 400 agentes cumpriram uma série de mandados de prisão e de busca e apreensão.

De acordo com assessorias de imprensa das principais prefeituras da região, serviços de saúde e engenharia de trânsito não foram afetados. No Guarujá, a pane afetou o sistema do Centro de Cidadania e os cidadãos não puderam solicitar documentos. A queda da internet impossibilitou o cadastro de recursos de multas de trânsito na cidade e transferência de pontos de um condutor para outro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG