País tem mais de 100 rios em condições ruins ou péssimas, diz estudo

Agência Nacional de Águas divulgou relatório que indica os pontos com água de baixa qualidade nas bacias hidrográficas brasileiras

iG São Paulo |

Divulgação
Imagem da região hidrográfica do Atlântico Sul
A Agência Nacional de Águas (ANA) divulgou nesta terça-feira que 105 corpos d’água - que são rios, reservatórios, lagoas, canais - de 17 Estados possuem água em condições ruins ou péssimas. A constatação está no 'Relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil – Informe 2011', estudo que traz a situação mais atualizada sobre a água no Brasil, com dados coletados no ano de 2009.

Segundo o estudo divulgado hoje, a proporção de água de ótima qualidade encontrada nos pontos de monitoramento caiu de 10% para 4%, em comparação com o relatório do ano passado. Em 2009 foi encontrada água de boa qualidade em 71% dos pontos, regular em 16%, ruim em 7% e péssima em 2%. O Índice de Qualidade das Águas (IQA) que traz esse resultado é a soma de nove parâmetros de qualidade que reflete principalmente a situação de contaminação dos rios pelo lançamento de esgotos domésticos.

O diagnóstico dos mais de 1.700 pontos analisados mostra várias bacias comprometidas devido ao grande lançamento de esgotos urbanos domésticos sem tratamento adequado, especialmente nas regiões metropolitanas (São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador) e cidades de médio porte (ex.: Campinas/SP, Juiz de Fora/MG). No entanto, em algumas bacias foi possível associar melhorias na qualidade das águas a investimentos realizados em tratamento de esgotos na última década, como por exemplo, nas seguintes bacias: do rio das Velhas, Paraíba do Sul, Grande e Tietê (Reservatório Billings – Braço do Taquacetuba).

Bacias

Além de destacar os pontos críticos, o relatório aponta as causas da qualidade inadequada da águas encontrada nas principais bacias hidrográficas do País. As regiões hidrográficas Amazônica, Tocantins-Araguaia e Paraguai são as que possuem os menores valores de comprometimento de extensão de rio. Essas áreas são caracterizadas por elevada disponibilidade hídrica, associada a uma baixa densidade populacional e a existência de grandes áreas protegidas e conservadas.

Já os rios localizados na região hidrográfica do Paraná apresentam problemas devido ao grande contingente populacional localizado nas regiões metropolitanas. Nessas regiões, ainda é encontrada uma grande demanda para os usos urbano e industrial e elevada carga de esgotos domésticos. Na região Nordeste, a ocorrência de rios com má qualidade de água aparece pela a baixa disponibilidade hídrica dos corpos d’água.

Veja abaixo o corpos d’água que apresentaram pontos de monitoramento classificados em situação ruim ou péssima:

Região hidrográfica do Paraná
- Bacia do Alto Tietê:
Rio Tietê, Rio Cabuçu, Rio Tamanduateí, Ribeirão dos Meninos, Reservatório Edgard de Souza, Rio Pinheiros, Rio Aricanduva, Reservatório de Pirapora, Reservatório de Rasgão, Ribeirão Pires, Rio Baquiruvu-Guaçu, Rio Juqueri, Ribeirão das Pedras.
- Bacia do Alto Iguaçu: Rio Barigui, Rio Iraí, Rio Padilha, Rio Palmital, Rio Iguaçu, Rio Água Verde, Rio Belém, Rio Parolim, Rio Fany, Córrego Monjolo.
- Bacia do Rio Grande: Rio Preto, Ribeirão São Domingos, Córrego Liso.
- Bacia do Rio Mogi-Guaçu: Rio Mogi-Mirim, Rio das Araras.
- Bacia do Rio Piracicaba: Rio Piracicaba, Ribeirão Tatu, Rio Capivari, Ribeirão Tijuco Preto, Ribeirão Lavapés, Rio Quilombo, Ribeirão dos Toledos, Ribeirão Três Barras.
- Bacia do Rio Jundiaí: Rio Jundiaí.
- Bacia do Rio Ivinhema: Córrego Água Boa.
- Bacia do Rio Paranapanema: Rio Santo Anastácio.

Região hidrográfica do São Francisco
- Bacia do Rio das Velhas: Ribeirão Arrudas, Ribeirão do Onça, Rio das Velhas, Córrego Bernardo Monteiro, Córrego Sarandi, Córrego Sandra Rocha, Córrego Perobas, Córrego da Av. Dois, Córrego Cabral, Córrego da Luzia, Córrego Gandi, Córrego Flor d’Água, Córrego Ressaca, Córrego da Av. Tancredo Neves, Córrego da Av. Nacional, Córrego dos Munizes, Córrego Bom Jesus, Córrego Água Funda, Córrego Caeté, Ribeirão Poderoso, Ribeirão das Neves, Córrego do Diogo.
- Bacia do Rio Pará: Ribeirão da Fartura, Córrego do Pinto, Ribeirão Paciência.
- Bacia do Rio Jequitinhonha: Rio Salinas.
- Bacia do Rio Paraopeba: Rio Betim, Ribeirão das Areias.
- Bacia do Rio Verde Grande: Rio dos Vieiras.

Região hidrográfica do Atlântico Leste
- Bacia do Recôncavo Norte:
Rio Ipitanga, Rio Pitinga, Rio Joanes, Rio Muriqueira, Rio Camaçari, Rio Jacarecanga.
- Bacia do Rio Cachoeira: Rio Colônia, Rio Cachoeira.
- Bacia do Rio de Contas: Rio do Peixe, Rio Jequiezinho.
- Bacia do Rio Itapicuru: Rio Itapicuru Mirim.
- Bacia do Rio Paraguaçu: Rio do Maia, Rio Jacuípe, Riacho Principal.
- Bacia do Rio Real: Rio Real.

Região hidrográfica do Atlântico Sudeste
- Bacia do Rio Paraíba do Sul:
Ribeirão Meia Pataca, Rio Xopotó.
- Bacia do Rio Reis Magos: Lagoa Jacuném.
- Bacia do Rio Jucu: Rio Aribiri, Rio Itanguá, Rio Marinho, Rio Formate.
- Bacias afluentes à Baía de Sepetiba: Rio Queimados, Rio Ipiranga, Vala do Sangue, Rio Guandu-Mirim, Rio Marinho, Rio Piraquê, Rio Cabuçu, Rio da Guarda, Canal do Itá.
- Bacias afluentes ao Complexo Lagunar de Jacarepaguá: Rio Guerenguê, Rio Pavuninha, Arroio Pavuna, Arroio Fundo.
- Paraguai Bacia do Rio Miranda: Córrego Bonito.

    Leia tudo sobre: anariosbacia hidrográficapoluição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG