SÃO PAULO - Os pais do bebê sequestrado após uma reintegração de posse em São Paulo, Josiele do Espírito Santo e Edno Santos Vargas, já estão de volta com a filha ao abrigo onde se encontram provisoriamente, segundo o Conselho Tutelar de Campo Limpo.

Antes de prestar depoimento no 47º DP de Capão Redondo, a mãe da menina recém-nascida havia feito o reconhecimento da filha. A polícia afirma que uma jovem de 18 anos é suspeita de ter levado a criança.

O delegado Iraí Santos de Paulo, responsável pelas investigações, informou que o inquérito para apurar o caso já foi instaurado e diversas pessoas já foram ouvidas, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP).

A localização da autora do crime é aguardada para que seu indiciamento seja feito. O prazo legal para que isso ocorra é de 30 dias. Se a suposta a sequestradora não for encontrada nesse período, será indiciada mesmo assim.

AE
Os pais já estão de volta ao abrigo com o bebê sequestrado

De acordo o Conselho Tutelar, a menina havia sido deixada no 99º DP na quinta-feira e ainda durante a noite foi levada ao 47º DP, onde o sequestro havia sido registrado. Por volta das 6h desta sexta-feira, o Conselho Tutelar acionou a dona de casa Josiele para reconhecer a criança.

Segundo informações da SSP, a mãe da jovem B.M.M., de 18 anos, levou o bebê à delegacia após reconhecer a filha nas imagens divulgadas pela TV.

Segundo a mãe da suspeita, a filha estava grávida de 9 meses completos e com a cesariana agendada no Hospital Geral da Pedreira. Na última quarta-feira, porém, B.M.M. ligou avisando que já havia tido o filho de parto normal e foi liberada no mesmo dia por causa da "gripe suína".

Segundo a polícia, a mulher afirmou que foi buscar a filha no hospital e desconfiou do tamanho da criança, mas se conformou ao ver que a jovem estava sem barriga. 

Por volta das 19h30 de quinta-feira, a suspeita saiu de casa e não retornou mais. A mãe disse à polícia não ter informações sobre o seu paradeiro, nem estado de saúde.  

O caso

Josiele teve a filha recém-nascida, Amanda, levada, no início da noite da última quarta-feira, por uma mulher que dizia querer ajudar as famílias despejadas da Favela Olga Benário.

A mulher chegou a uma unidade da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no Capão Redondo, dizendo-se voluntária. Pelos relatos, procurou diretamente o bebê. "Ela perguntou de quem era o bebê que tinha aparecido na televisão. Foi aí que ela se aproximou de mim", relata a mãe da criança.

Oferecendo-se para comprar remédios, a mulher levou a mãe e o bebê à farmácia. Após o cartão da suspeita ser recusado, as duas saíram do local e andaram até o ponto de ônibus.

Josiele diz que quando parou para conversar com uma conhecida, a suspeita colocou a criança no colo dizendo que iria comprar balas. Depois de alguns minutos, a mãe do bebê não a encontrou mais.


Veja imagens que mostram a suspeita com o bebê:


Leia também:

Leia mais sobre: sequestro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.