A Fundação Oswaldo Cruz, um dos maiores fabricantes mundiais da vacina contra febre amarela, informou ter obtido bons resultados em pesquisas com adultos utilizando uma nova versão do imunizante, que poderá trazer menos reações adversas. Agora haverá testes em crianças.

O laboratório público Biomanguinhos, vinculado à entidade, conseguiu imunizar adultos com uma dose que contém dez vezes menos partículas do vírus vivo atenuado da doença do que o utilizado atualmente - 6 mil partículas contra 60 mil. A informação foi dada por pesquisadores durante o 46.º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, que terminou ontem em Foz do Iguaçu.

A vacina contra a febre amarela é necessária hoje na maior parte do País em razão do ressurgimento do vírus entre 2008 e 2009. Como em metade dos casos a doença mata, o imunizante não pode ser dispensado. Entre 2000 e 2008, a frequência de eventos graves foi raríssima no País. A de reações leves, como febre, foi de 0,91 caso por 100 mil, e as neurológicas, graves, de 0,084 por 100 mil vacinados. Porém, com a volta do vírus, o número aumentou - chegou a 56 casos entre 2008 e 2009. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.