Pais de mulher feita refém no Guarujá chegam à cidade

SÃO PAULO - Os pais da auxiliar de enfermagem Lilian Croche, de 29 anos, que desde as 14h30 foi mantida refém, sob a mira de uma arma, por um homem na beira da Praia da Enseada, no Guarujá, litoral sul de São Paulo, chegaram à cidade, vindos de Mauá, interior do Estado.

Agência Estado |

Três equipes de operações especiais da Polícia Militar da Baixada Santista e integrantes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), da capital, negociaram com o homem.

Segundo informações preliminares, o homem que mantinha Lilian refém se chamaria Jonathan. A auxiliar de enfermagem trabalha no Hospital São Luiz, na capital, e mora em Santo André, na Grande São Paulo.

Ela estava de férias com o marido e um filho de 8 anos no Guarujá há dois dias, e pretendia voltar ao ABC neste domingo, 3.

    Leia tudo sobre: refém

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG