Pai e madrasta de Isabella Nardoni alegam que são inocentes

SÃO PAULO - Indiciados na última sexta-feira por homicídio triplamente qualificado, o pai de Isabella Nardoni, Alexandre Nardoni, e sua madrasta, Anna Carolina Jatobá, alegaram que são inocentes. Em entrevista exclusiva ao programa ¿Fantástico¿, o casal disse acreditar que uma terceira pessoa pode ter matado a menina, que foi jogada pela janela do apartamento de seu pai no último dia 29 de março.

Redação |

"Somos totalmente inocentes", disse Anna Carolina emocionada. "Nunca encostei um dedo na minha filha", argumentou Alexandre. Segundo ele, sua esposa "era uma segunda mãe" para Isabella.

Reprodução
Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá falam pela primeira vez após morte de Isabella
Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá
falam pela 1º vez após morte de Isabella
Alexandre Nardoni disse ainda não entender o que fizeram com sua filha. "Passamos muitos momentos marcantes com a Isa, não consigo acreditar que fizeram isto com ela. Não entra na minha cabeça como fizeram uma coisa destas com uma criança, não entra, não consigo entender".

O pai de Isabella pediu à população que denuncie se tiverem conhecimento de algum suspeito. Queremos que a verdade apareça. É o que eu peço todos os dias para Deus, que apareça o culpado, completou Ana Carolina.

O casal contou que sempre foi uma família unida e que Isabella fazia parte deste núcleo de união. Meus filhos sempre foram tudo na minha vida, disse Alexandre emocionado.

Foi a primeira vez que eles conversaram com a imprensa após a morte da menina. O casal chegou a ter prisão temporária decretada no início do inquérito e ficou preso por oito dias.

Ana Carolina disse que sempre considerou Isabella como sua filha e que a tratava ela e seus dois filhos da mesma maneira. "O meu amor por ela era uma coisa inexplicável".

De acordo com a madrasta, Isabella era uma criança muito educada e se comportava quase como uma adulta. "Ela não dava trabalho para nada". Ana Carolina disse ainda que a menina havia perguntado se podia ir morar com eles no novo apartamento. "Ela perguntou 'tia carol, eu posso vir morar com vcs?' Ela queria um quarto lilás, fizemos um quarto lilás, decoramos do jeitinho que ela quis", relatou.

Sobre as brigas que os vizinhos relataram que ouviram Alexandre afirmou, "isto não existe. Brigas todo casal tem, mas não do jeito que estão veiculando na mídia. Discutíamos como pessoas normais. Tínhamos briga de casal normal". Segundo Ana Carolina, eles nem nunca tinham brigado no novo apartamento. "Vivíamos em total harmonia". 

Alexandre contou ter feito uma promessa sobre o caixão da filha. "Disse para ela 'filha, o papai não vai se sossegar enquanto não encontrar o assassino qeu fez isto com você'". O pai de Isabella disse ainda ter sentido seu mundo acabar quando soube da notícia da morte da filha. "Quando a médica falou 'sua filha faleceu', o meu mundo acabou, naquela hora eu queria ter morrido junto".

Investigações

A Polícia Civil deve fazer até sexta-feira a reconstituição do assassinato de Isabella com a presença de Anna Carolina e Alexandre. O casal irá relatar aos policiais suas ações na noite do crime. Além disso, será feita a acareação do casal. A técnica jurídica coloca frente a frente os suspeitos levantando os pontos divergentes, até que se chegue às alegações e afirmações verdadeiras.

Até o momento, o que foi revelado pelos laudos do IC é que havia sangue no carro de Alexandre, no apartamento do casal e no sapato de Anna Carolina. A polícia sabia, desde o início das investigações, que havia sangue no carro de Alexandre, mas preferiu manter a informação em sigilo para não atrapalhar o encaminhamento do caso e confundir a defesa do casal. Durante a investigação, chegou até mesmo a anunciar que não era sangue a mancha encontrada no veículo.

De acordo com a polícia, havia sangue no encosto do banco do motorista, no assoalho do veículo e na lateral da cadeirinha de bebê. No apartamento, o sangue teria sido encontrado do hall de entrada até o quarto dos filhos do casal. Exames confirmaram que o sangue é de Isabella Nardoni.

Choro e frieza em interrogatório

AE
Casal deixa o 9°DP após interrogatório
O interrogatório de Anna Carolina, tomado pelos delegados Calixto Calil e Renata Pontes, começou por volta das 20h de sexta-feira e terminou à 1h30 do sábado. O interrogatório foi bem mais curto do que o prestado por seu marido. Alexandre Nardoni prestou depoimento por cerca de oito horas. A polícia descartou a realização da acareação entre os dois e eles deixaram a delegacia por volta das 4h40.

Ao ser questionada sobre as manchas de sangue encontradas no carro do casal, Anna Carolina disse que desconhecia o fato. Ela teria dito apenas desconheço sem se estender mais sobre o assunto. A mesma resposta teria sido dada para o ferimento na testa de Isabella.

Ainda, de acordo com a polícia, Anna Carolina demonstrou frieza durante o depoimento. Já Alexandre chorou bastante. Os dois foram indiciados pela polícia por homicídio doloso (com intenção de matar), triplamente qualificado, pela impossibilidade de defesa da vítima, motivo torpe e cruel.

O caso

AE
Isabella era filha do consultor jurídico Alexandre Alves Nardoni e da bancária Ana Carolina Cunha de Oliveira. A cada 15 dias, ela visitava o pai e a madrasta Anna Carolina Trotta Peixoto.

No sábado, dia 29 de março, a garota foi encontrada morta no jardim do prédio em que o pai mora. A polícia descartou desde o princípio a hipótese de acidente. O delegado titular do 9º Distrito Policial Carandiru, Calixto Calil Filho, declarou que Isabella foi jogada da janela do apartamento por alguém.

O delegado destacou o fato de a tela de proteção da janela do quarto ter sido cortada e de ninguém ter dado queixa de desaparecimento de pertences no local.

O pai teria alegado à polícia que um homem invadiu o seu apartamento. Ele e Anna Carolina afirmam ser inocentes e, por meio de cartas, disseram esperar que "a justiça seja feita".

*Com informações da Agência Estado

Principais notícias sobre o caso:

VÍDEOS DO CASO ISABELLA

Laudos

Depoimentos

Prisão

Reprodução

Isabella em vídeo

OPINIÃO

    Leia tudo sobre: isabella

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG