Pai de Eloá é acusado de matar advogado em Pernambuco

MACEIÓ ¿ O ex-cabo da Polícia Militar Everaldo Pereira dos Santos, pai da jovem Eloá Pimentel, morta durante seqüestro que comoveu o País, em Santo André, no ABC paulista, é réu no processo que apura o assassinato de um advogado na cidade pernambucana de Palmares. A informação foi revelada na tarde desta segunda-feira, por dois delegados de Pernambuco, que se reuniram com o delegado geral adjunto da Polícia Civil (PC) de Alagoas, José Edson de Freitas Júnior, na sede da PC, em Jacarecica.

Agência Nordeste |

Os delegados Jandir Carneiro Leão, da Regional de Palmares, e Wagner Volp, do município de Água Preta, trouxeram cópia da denúncia e do inquérito que aparece entre os réus Everaldo Pereira. Ele é acusado de envolvimento na morte do advogado e líder regional do PMDB, José Rolemberg, assassinado a tiros em dezembro de 1989. Por este crime, o ex-cabo Everaldo tem mandado de prisão preventiva em aberto e é considerado foragido da Justiça pernambucana, explicou o delegado Jandir Carneiro.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Everaldo Pereira, junto com outros dois militares alagoanos, o também foragido Cícero Felizardo, o Cição, e João Gabriel Felizardo teriam sido contratados por dois comerciantes de Palmares, Cícero Belo Pereira e Antônio de Almeida Melo, para executar José Rolemberg. Na época, os três policiais trabalhavam em Novo Lino, cidade alagoana que fica a menos de 50 quilômetros de Palmares.

O motivo do crime, conforme explicou o delegado Jandir Carneiro, seria uma inimizade entre os mandantes do crime e a vítima. Pelos autos do inquérito e da denúncia, não há dúvidas que os militares receberam dinheiro para executar José Rolemberg. Foi um crime de repercussão em Pernambuco, já que a vítima era advogado militante e uma liderança política da região, explicou.

Todos os documentos trazidos pelos delegados de Pernambuco foram entregues a José Edson e devem robustecer ainda mais toda a documentação que a polícia alagoana já possui contra Everaldo Pereira. Continuamos trabalhando para tentar localizá-lo e prendê-lo para que ele responda na Justiça pelos crimes que lhes são atribuídos, assegurou o delegado geral adjunto.

O ex-cabo Everaldo, pai de Eloá, ganhou notoriedade nacional ao ser reconhecido, por meio de fotografia e imagens de TV, durante o seqüestro da filha, como sendo acusado no assassinato do delegado Ricardo Lessa, irmão do ex-governador Ronaldo Lessa, e do motorista Antenor Carlota, crimes acontecidos em Maceió, no ano de 1991.

Leia mais sobre: Caso Eloá

    Leia tudo sobre: eloá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG