Pai de brasileiro morto nos EUA acompanhará apuração

O policial militar da reserva Luiz Carlos de Castro Martins pretende viajar ainda esta semana para os Estados Unidos com o objetivo de acompanhar as investigações sobre a morte do filho André Martins, de 25 anos, no domingo, com um tiro disparado por um policial norte-americano, ao não parar numa batida policial no Distrito de West Yarmouth, no Massachusetts. Castro Martins também pretende conversar com a noiva de André Martins, a brasileira Camila Campos, para que o corpo seja enterrado em Cianorte, no noroeste do Paraná, onde mora, ou em Tapejara, cidade vizinha, onde o filho viveu até os 18 anos.

Agência Estado |

A mãe de André Martins mora em Santa Catarina. Hoje, o policial militar da reserva atendeu a telefonema de uma brasileira, que é policial na localidade de Hyannis, onde o filho dele trabalhava, e, por meio dela, recebeu as condolências da Procuradoria-Geral do Estado americano. "Ele disse que está fazendo uma investigação independente da polícia", afirmou Castro Martins. O pai de André Martins aguardava um fax que seria enviado por uma funerária para a liberação do corpo no Instituto Médico Legal. "Só está faltando a minha assinatura", afirmou. Ele ressaltou que também recebeu uma ligação do cônsul do Brasil em Boston, Mário Saad, que se pôs à disposição.

Hoje, Castro Martins esteve em Maringá (PR) para renovar o passaporte e poder viajar. O policial militar tentava conseguir com parentes e amigos mais de uma passagem para que a mãe e o outro filho também pudessem ir aos EUA. Além disso, o pai espera reunir os recursos para fazer o traslado do corpo, calculado em torno de US$ 14 mil. "Espero que a sociedade possa se mobilizar", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG