Criminosos mataram a tiros no domingo o padre Gisley Azevedo Gomes, assessor do Setor de Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A polícia descobriu o crime hoje, ao encontrar o corpo da vítima na margem da rodovia DF-445, numa área rural da cidade-satélite de Brazlândia, no Distrito Federal.

Ordenado em maio de 2005, o reverendo goiano organizava com pastorais a campanha nacional cujo lema era "Juventude em marcha contra a violência".

O sumiço do padre começou a ser esclarecido na noite de ontem com a apreensão de um adolescente de 17 anos no bairro Veredas. O menor guiava o carro levado de Gomes um dia antes, em Taguatinga. Segundo a polícia, ele indicou o nome dos outros dois rapazes que participaram do assalto. A dupla foi encontrada na manhã de hoje, no bairro Vila São José, e revelou o local onde o corpo havia sido abandonado. De acordo com a polícia, os criminosos decidiram matar o padre porque um deles fora reconhecido por ele.

Em nota, a CNBB informou estar consternada e lamentou que Gomes, de 31 anos, tenha sido vítima da violência que ansiava combater. "Esperamos confiantes que o crime seja apurado com eficiência e os culpados punidos com Justiça", afirma a entidade, no comunicado. Advogados da CNBB e da Congregação dos Sagrados Estigmas, à qual o padre pertencia, acompanham a investigação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.