BRASÍLIA, 20 de fevereiro (Reuters) - No dia do lançamento da pré-candidatura da ministra Dilma Rousseff à Presidência da República, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou que sua indicação é resultado da vontade de todo o PT. Ela é um projeto coletivo do conjunto do partido e assumido pelo conjunto do partido, disse Padilha a jornalistas durante o 4o Congresso do PT.

"Ela sempre enfrentou desafios, inclusive sempre enfrentou questionamentos da capacidade por ser uma pessoa de esquerda, por ser uma mulher", acrescentou.

Segundo o ministro, Dilma permanecerá à frente da Casa Civil até o último momento possível antes que tenha que se desincompatibilizar para poder disputar a eleição em outubro.

Padilha acredita que a permanência de Dilma no governo após o lançamento de sua pré-candidatura neste sábado não será um problema perante o Tribunal Superior Eleitoral.

"Nossos procedimentos são corretos, o TSE já viu isso. O governo não vai parar de governar."

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.