Pacientes com suspeita de dengue lotam postos em MS

A média de atendimentos a pacientes com suspeita de dengue em Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, foi de 389 casos por dia na primeira semana deste mês, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O número alto de pacientes e a pequena quantidade de médicos expuseram funcionários dos postos de saúde a graves riscos.

Agência Estado |

Ontem, um médico de 35 anos foi agredido a socos e pontapés por três homens que aguardavam atendimento no posto de Nova Bahia, na zona norte. Foi a terceira ocorrência do tipo na capital.

Desde o início do ano, 12.528 pessoas com suspeita de dengue passaram pelas 72 unidades básicas de saúde, 7 postos de atendimento 24 horas e 2 unidades de pronto-atendimento de Campo Grande. Desse total, 855 pacientes tiveram a doença confirmada - 16 provavelmente estão com o tipo hemorrágico e um morreu no mês passado, segundo informações da Secretaria Municipal da Saúde.

O aumento do número de casos em relação ao ano passado é considerado “altamente preocupante”. “Mais gente poderá morrer”, alertou o coordenador estadual de Epidemiologia, Eugênio de Barros. Ele afirma que o problema não é falta de médicos, mas sim um aumento anormal no número de pessoas que estão procurando os postos de saúde. O Conselho Regional de Medicina discorda da observação e destacou, em nota, que “o órgão espera que sejam feitas contratações de mais médicos e que sejam garantidas as condições dignas de trabalho e segurança”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG