Uma adolescente de 16 anos foi esquecida dentro de um centro de saúde no município de Nova Guataporanga (SP). Com dores na cabeça, na garganta e nas costas, além de febre, a estudante Aline Custódio Machado da Silva procurou ontem atendimento médico no centro de saúde municipal.

Por causa do efeito do medicamento injetado no soro, ela dormiu e acabou esquecida e trancada no centro de saúde, que fecha às 17 horas. A funcionária responsável encerrou o expediente, foi embora e esqueceu de acordar a moça.

Com o frasco do soro esvaziado, Aline acordou assustada 20 minutos depois com uma ligação de sua mãe, Alessandra Custódio Santos, que estava preocupada porque a filha ainda não havia voltado para casa. Depois que a filha contou o que estava acontecendo, Alessandra e o marido procuraram a agente de saúde Anita Paes. Ela abriu o centro e resgatou a estudante, que acusou as agentes de saúde Sonia Aparecida da Silva e Mirian, cujo sobrenome não foi divulgado.

"A Mirian foi afastada por três dias, não sei o sobrenome dela, não quero me envolver com isso", resumiu uma farmacêutica que pediu anonimato. A família de Aline cogita pedir indenização à prefeitura. "Abrimos inquérito hoje para apurar eventual prática de crime por abandono de incapaz. Vamos apurar a responsabilidade penal da funcionária encarregada de cuidar da menor, que ficou abandonada.

A adolescente pode ter corrido risco em razão da medicação, que poderia causar choque anafilático", analisou o delegado Nilton Pascoal, do 2º DP de Dracena, responsável pelo caso.

Leia mais sobre: paciente

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.