Separatistas lideram arrecadação de recursos no Pará

Frente que defende divisão do Estado em 3 territórios conseguiu R$ 82,7 mil contra R$ 22,9 mil dos unionistas

Wilson Lima, iG Maranhão |

Nesta primeira fase de campanha do plebiscito no Pará, os defensores da criação dos Estados de Carajás e Tapajós conseguiram arrecadar quatro vezes mais do que os contrários à divisão do Estado. O plebiscito será realizado no dia 11 de dezembro e, na próxima semana, começa a campanha gratuita em rádio e na televisão.

Celebridades entram na campanha: Atriz e jogador do Santos defendem Pará unido

Pelos dados do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), os separatistas já conseguiram levantar R$ 82,7 mil contra R$ 22,9 mil dos unionistas. Os números ainda estão bem longe dos tetos estabelecidos para cada campanha pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE): R$ 10 milhões.

A fonte de recursos das duas campanhas também é distinta. Até agora, apenas pessoas jurídicas doaram para os separatistas. Entre os doadores para a campanha pró Carajás e Tapajós, estão fazendeiros e empresários das cidades que fazem parte dos possíveis novos Estados. Do lado contrário à divisão do Estado, 52% das doações vieram de pessoas físicas.

Na semana passada, as frentes contrárias à divisão do Estado conseguiram um reforço do meia da seleção brasileira e do Santos, Paulo Henrique Ganso, e do lateral-direito da equipe paulista, Marcos Rogério Lopes, o Pará . Eles doaram camisas autografadas que serão leiloadas para ajudar na arrecadação da campanha do “não”. Os separatistas, além de leilão de gado e bingos, estão realizando vaquejadas nas regiões de Tapajós e Carajás para ajudar a levantar fundos para a campanha do “sim”.

Reprodução
Pela proposta, o Pará será o menor dos três Estados surgidos da separação

Se de um lado os unionistas não tem a campanha mais “rica”, do outro eles foram os únicos que já declararam gastos na atual campanha. Dos R$ 22 mil arrecadados, eles afirmam terem custeado metade desse dinheiro com aluguel de imóveis, R$ 1,5 mil com produção de jingles e R$ 5 mil com impressos. Os separatistas afirmaram que desembolsaram, ate agora, apenas R$ 24,90 referentes à abertura da conta bancária da campanha.

Na sexta-feira da próxima semana, 11 de novembro, começa a campanha em rádio e na televisão. No primeiro dia, a propaganda será destinada às frentes contra e a favor da criação do Estado de Carajás. No sábado, as propagandas serão sobre a criação ou não de Tapajós. Serão dois horários de propaganda eleitoral, tanto em rádio quanto na televisão. A exibição ocorrerá apenas no Pará.

    Leia tudo sobre: ParáTapajósCarajásplebiscito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG