Polícia prende acusados da morte de sindicalista no PA

Fazendeiro que teve propriedade invadida por líder é apontado como mandante do crime

Wilson Lima, iG Maranhão |

Três pessoas foram presas durante essa semana suspeitas de terem encomendado e executado a morte do líder sindical Valdemar Oliveira Barbosa , conhecido como “Pìauí”. Ele foi executado a tiros, em agosto, na cidade de Marabá, distante 440 quilômetros de Belém. Piauí era sócio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município.

Trabalhar ameaçado: Advogado da Pastoral da Terra diz como é trabalhar ameaçado de morte

Estão presos Diego Pereira Marinho e Valdenir Lima dos Santos, acusados de terem executado o líder sindical e o fazendeiro Vicente José Corrêa Neto, apontado como mandante do crime. Os três já tiveram mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Marabá.

Conforme as investigações da Polícia Civil, o fazendeiro encomendou a morte de Barbosa após o líder sindical ter promovido uma invasão da Fazenda Califórnia, de sua propriedade, no ano passado. O imóvel fica no município de Jacundá, nas proximidades de Marabá.

Como forma de retaliação, o fazendeiro encomendou a morte a dois pistoleiros: Marinho e Santos. As prisões dos três envolvidos na morte do líder sindical duraram quatro meses. Esse foi o quinto líder rural no Pará a ser assassinado no Estado apenas no ano de 2011,entre os quais o casal de extrativistas José Cláudio e Maria do Espírito Santo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG