Polícia Militar e bombeiros paralisam atividades no Pará

Agentes querem reajuste salarial de 100%; governo sinalizou com aumento de 14,13% para os policiais

Wilson Lima, iG Maranhão |

Os agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Pará iniciaram na noite desta quarta-feira (18) uma paralisação por tempo indeterminado. Eles querem aumento salarial de 100%. O governo do Estado sinalizou com um aumento de 14,13% apenas para os policiais. Os oficiais ficariam de fora desse reajuste.

Leia também: Ceará enfrenta greves da Polícia Militar e Polícia Civil

Segundo informações do diretor administrativo da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Pará, Manoel Campelo, vários quartéis aderiram à paralisação tanto em Belém, quanto na região metropolitana em cidades como Marituba, Benevides e Ananindeua. No entanto, o comando de greve ainda não anunciou a paralisação de maneira oficial.

Na manhã desta quinta-feira, como forma de protesto contra o executivo, cerca de 200 policiais militares interditaram, por volta das 10h30 (11h30 horário de Brasília) a avenida Nazaré, no centro de Belém. Eles se concentram em frente ao Centro Integrado de Governo (CIG).

Outros batalhões de cidades importantes no interior do Estado, como em Altamira, onde está sendo construída a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, também paralisaram as atividades. Em Belém, algumas viaturas estão paradas em frente aos quartéis ou nas ruas. O governo reconhece que apenas o batalhão de Ananindeua está paralisado. Os de Icoaraci e Marituba, nas informações do governo, pararam na noite de quarta-feira, mas já retomaram as atividades durante a madrugada.

Segurança: Presos são transferidos após motim em Belém

Os policiais que aderiram ao movimento estão atendendo a apenas crimes contra a vida, segundo o comando de greve. “A participação neste momento é muito grande. Foi um movimento espontâneo”, disse Manoel Campelo.

Segundo o governo do Estado, para evitar a transtornos à população, integrantesda Polícia Civil e Tropas de Missões Especiais da PM foram deslocadas para as áreas de abrangência dos quartéis que aderiram à greve. Além disso, dez viaturas do Conselho de Segurança Pública do Meio Norte (Comen) estão em Belém ajudando no policiamento ostensivo.

Neste momento, o governo do Estado negocia um acordo com os policiais militares e bombeiros paraenses. Em nota oficial divulgada na manhã desta quinta-feira, o governo do Estado afirmou que está negociando dentro do limite sem “ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal”. Nessa proposta, o salário dos soldados aumentaria para R$ 2.128,80. “Com o reajuste, as tropas paraenses passarão a ter o oitavo maior salário pago a policiais militares no Brasil”, informou o governo.

    Leia tudo sobre: greveparalisaçãopolícia militarbombeirospará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG