Ministério Público pede a prisão de acusados pela morte de extrativistas

Três pessoas são acusadas pela morte do casal no sul do Pará em maio deste ano

Wilson Lima, iG Maranhão |

Acompanhando parecer da Polícia Civil do Pará, a promotora de Justiça Amanda Luciana Sales Lobato, da 3ª Promotoria de Justiça Criminal de Marabá, pediu à Justiça a prisão preventiva de José Rodrigues Moreira , Lindonjonson Silva Rocha e Alberto Lopes do Nascimento pelo assassinato do casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo , em 24 de maio em Nova Ipixuna, cidade a 390 quilômetros de Belém.

José Rodrigues Moreira é acusado pelo Ministério Público Estadual de ter planejado a morte do casal e responderá por homicídio duplamente qualificado (crime premeditado e por motivo fútil). Lindonjonson Rocha e Alberto Nascimento responderão por homicídio triplamente qualificado (crime premeditado, por motivo fútil e com arma de fogo). No dia do crime, segundo a polícia, Nascimento disparou os tiros que mataram o casal e Lindonjonson dirigia a moto usada no crime.

Na denúncia encaminhada à Justiça, a promotora Amanda Luciana Sales Lobato afirmou que a prisão dos três tem o objetivo garantir a ordem pública. “Soltos, os denunciados poderão sumir com provas e ameaçar testemunhas”, declarou a promotora. Ainda segundo a promotora, as declarações, documentos e demais informações levantadas pela polícia do Pará “robustecem os indícios de autoria”.

Esse é o terceiro pedido de prisão feito pelo Ministério Público do Pará no caso dos extrativistas. Os dois primeiros foram negados pelo juiz da 4ª Vara de Marabá, Murilo Lemos Simão. Por não ter determinado a prisão dos três suspeitos, movimentos sociais pediram o afastamento do juiz Murilo Lemos Simão do caso .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG